terça-feira, 13 de novembro de 2012

Demolindo edifícios "sagrados"

           Demolindo edifícios “sagrados”

Estamos abordando os vários elementos que compõem a nação santa que substituiu (não houve interrupção) o antigo reino de Israel.
Essa nação santa passou a representar o Governo de Deus aqui na terra desde 33 EC. (Embora a Sociedade Torre de Vigia com sua doutrina de 1914 diga que não)
Falamos bastante sobre um elemento da nação de Jesus Cristo que é o Templo de Deus ou “casa de Deus” ou “habitação de Deus”. Vamos considerar mais um pouco esse tema (Embora o objetivo principal seja mostrar que a doutrina de 1914 é uma fraude, e a própria existência da nação santa desde 33 EC é a prova fundamental dessa fraude chamada de doutrina de 1914)

O Conceito de um “templo” , “edifício” para Deus habitar tem sido muito explorado pelas religiões organizadas. O motivo é que tal “local de adoração” é a principal fonte de capitação monetária. Já estudamos que na nação de Cristo, o Templo de Deus são os filhos de Deus (1 Cor 3:16) e portanto não há nenhum local específico para a adoração à Deus na nação de Jesus Cristo. (Já falamos disso em outros artigos, leia aqui)

Como já expresso em outro artigo, a organização liderada por Betel que controla a adoração das testemunhas de Jeová também está envolvida na construção de edifícios para serem locais de adoração.

Como qualquer outra organização humana a Torre de Vigia necessita de métodos de propaganda para viver.

Propaganda é uma ferramenta para controlar/estimular/manipular a mente, definir os valores e o comportamento das pessoas para um determinado objetivo.

Usando propaganda uma organização consegue controlar o comportamento, os hábitos e as opiniões das pessoas em relação à determinada “coisa”.

No caso deste artigo “a coisa” que estamos falando são os “locais de adoração” da Watchtower.

A Watchtower em sua propaganda (ensino por meio de revistas, livros , discursos, reuniões, etc) enfoca implicitamente na mente das testemunhas o “conceito” , a “ideia” , a “agenda” de que os salões do reino são “sagrados”.

          A Dedicação dum edifício à Deus.

No antigo Israel o edifício do Templo de Deus na cidade de Jerusalém construído por Salomão foi dedicado à Jeová. Como era dedicado à Deus o Templo era um local santo e a cidade era chamada de santa.(Mateus 4:5, Lucas 4:9, Mateus 27:53 Mateus 23:21) A Watchtower em sua “propaganda” pega “emprestado” esse “conceito” do antigo Templo e translada para os seus edifícios.

Dedicação – Santificação - Tornado Sagrado

A palavra Dedicação nas Escrituras significa “separar”, “colocar à parte” para Jeová.

Agora faça a seguinte pergunta para qualquer Testemunha de Jeová:

Quando a Watchtower dedica um edifício, ela dedica a quem?
A quem pertencem os salões do Reino, A quem pertence Betel?

Ela irá responder: “Pertencem à Jeová.”

Isso se dá pois por meio da propaganda (ensino/práticas /cerimônias) as testemunhas são “indoutrinadas” pela liderança a pensarem dessa forma. Propaganda serve para moldar as ideias, o comportamento, os conceitos das pessoas.

Sempre que é construído um “novo edifício” a sociedade implementa uma reunião de dedicação (SANTIFICAÇÃO) do edifício à Jeová. Assim com essa “propaganda cerimonial” há na mente das testemunhas a noção, o conceito ,a ideia, a agenda, de que os salões são de “Jeová”.

Sabemos que Jeová é Santo (Rev 4:8).
E Tudo que pertence a Jeová deve ser Santo como Ele é.

Os pães que eram apresentados, dedicados à Jeová eram sagrados, santificados à Jeová (Ex 40:23, Isa 6:3)

Lev 19:1 E Jeová falou mais a Moisés, dizendo: 2 “Fala à assembléia inteira dos filhos de Israel, e tens de dizer-lhes: ‘Deveis mostrar-vos santos, porque eu, Jeová, vosso Deus, sou santo.

Mateus 5:48 Concordemente, tendes de ser perfeitos, assim como o vosso Pai celestial é perfeito.

1 Pedro 1:16 porque está escrito: “Tendes de ser santos, porque eu sou santo.”

Tudo que é de Jeová deve ser Santo, Sagrado. Assim as ações propagandistas da Torre moldam as mentes dos seus associados de forma que estes passam a pensar e se comportar atribuindo “santidade” a um edifício. Como se o edifício fosse “sagrado” pois o edifício foi dedicado, santificado à Jeová Deus e passou a pertencer a Deus a ser CASA DE DEUS.

Como já estudamos em um artigo passado atribuir a noção /conceito / comportamento de que um edifício construído por mãos humanas é a casa de Deus é uma ação anti-cristianismo.

A noção de que o salão do reino é “local santo” vai longe entre as testemunhas. Por exemplo, elas acham que a menos que a pessoa adore a Jeová no salão do Reino em seu bairro, essa pessoa não pode adorar a Jeová. Essa ideia logicamente é endossada pelos ensinos (propaganda) da Torre. Ela quer evidentemente controlar/centralizar a adoração a Jeová Deus.
Até mesmo construir um salão do reino é visto pelos membros da torre como um “serviço sagrado” a Deus. Um ministério cristão (equivalente ao de Jesus Cristo) (e de tempo integral).

Controle a informação, use propaganda e você controlará as pessoas ( manipulará os comportamentos e as prioridades delas).

A Indoutrinação de crianças - A propaganda enganosa

Se queremos dominar o futuro, manipule os conceitos e os valores das crianças. A Organização faz bastante isso:

Vejamos uma literatura voltada para jovens e crianças.


Jesus limpa a Casa de Jeová 
No livro “Meu Livro de Histórias Bíblicas” na História 89: Jesus limpa o templo 
A Organização conta o relato em que Jesus limpou o Templo de Deus. O evento em que Jesus Limpou a Casa de Jeová em Jerusalém, o lugar santo.

O artigo conclui com a A indoutrinação – A Agenda – Moldando Mentes e comportamentos:

Equiparando o Salão do Reino ao Templo de Jeová 

O artigo condiciona o leitor a pensar no salão do Reino em termos do Templo de Jeová em Jerusalém.
Em sua propaganda, ele diz:

Valorize e estime o salão como Jesus estimou o Templo de Jeová em Jerusalém”
Não podemos fazer atividade comercial no salão pois o salão é lugar sagrado, pertence à Jeová”

O artigo condiciona ao leitor à equiparar o salão do Reino ao antigo Templo de Deus. Para a Torre é uma questão de fazer propaganda de si mesma.

Contudo, induzir e fomentar (por meio de perguntas capciosas e uso de imagens) essa noção (sobretudo em crianças) de “locais sagrados” é uma violação do cristianismo. (vide Artigo)

É interessante que a torre não se dá ao luxo de comparar os salões do reino com as sinagogas judaicas. Ela compara o salão do reino com o Templo de Jeová , é claro.

Como no caso dos edifícios chamados salões do Reino, a Organização também trabalha várias outras "agendas", "indoutrinações",  "ideias", "conceitos" na testa (mente) das testemunhas. A mais recente é o conceito de que a organização é a "mãe" das testemunhas. (Nada diferente do que a "Igreja Mãe Católica" fez muitos séculos antes).
Conforme a agenda dominadora da Torre, as testemunhas devem "amar a sua mãe espiritual" (vide artigo).
A Agenda:  É uma questão de estabelecer e definir conceitos para impor autoridade e dominação sobre outros. É a velha sabedoria terrena (Tiago 3:15)

                       “O ensino do Cristo

Em nenhum lugar nas Escrituras Gregas cristãs há a ideia / conceito / noção / ensino / comportamento de que um lugar era “dedicado à Jeová” para a adoração.

Não existe o ato de dedicar edifícios à Deus no cristianismo estabelecido pelo Cabeça do Cristianismo – Jesus Cristo, e nem pelos apóstolos.
Cristãos não dedicavam edifícios a Jeová.
Assim como não há a palavra/conceito de uma Trindade nas Escrituras também não há a palavra/conceito de cristãos dedicarem um edifício a Jeová (Não podemos adotar um padrão duplo de julgamentos em relação às doutrinas). 

Dedicar edifícios a Deus não constitui Ensino de nosso Senhor Jesus Cristo:

2 João 2:9 Todo aquele que se adianta e não permanece no ensino do Cristo não tem Deus. Quem permanece neste ensino é quem tem tanto o Pai como o Filho.

Como já dissemos em artigos passados, os cristãos se reuniam para louvar a Deus em casas residenciais particulares.

                                  “Na casa deles”

1 Coríntios 16:19
19 As congregações da Ásia enviam-vos os seus cumprimentos. Áquila e Prisca, junto com a congregação que está na casa deles, cumprimentam-vos cordialmente no Senhor.

Colossenses 4:15
15 Dai os meus cumprimentos aos irmãos de Laodicéia, e a Ninfa, e à congregação na casa dela.

Filêmon 2 e a Áfia, nossa irmã, e a Arquipo, nosso soldado companheiro, e à congregação que está na tua casa:

Romanos 16:3 Dai os meus cumprimentos a Prisca e Áquila, meus colaboradores em Cristo Jesus, 4 que, pela minha alma, arriscaram os seus próprios pescoços, aos quais não somente eu, mas também todas as congregações das nações expressamos agradecimentos; 5 e [cumprimentai] a congregação que está na casa deles.

Note que os textos bíblicos não dizem que as congregações (pessoas reunidas) estavam “na casa de Deus” ou na casa de Jeová. Elas estavam reunidas "nas casas delas", das pessoas. A reunião era feita  na casa de uma certa pessoa. O local de adoração era a casa desta pessoa e não "casa de Deus".

Na casa de Áquila e Prisca, na casa de Ninfa, na casa de Filêmon...

Qualquer grupo de pessoas pode adorar a Jeová juntos, unidos em suas casas. Pode ser na casa de João, na casa de Maria, de Paulo, de José,na casa de Fulano, na casa de Ciclano...

Assim vimos como a sociedade Torre de Vigia tem se atolado com, de fato, apostasia contra o cristianismo. Obviamente basicamente todas as religiões organizadas cometem esse mesmo ato de apostasia contra Jesus Cristo.
A torre “dedica (santifica) edifícios a Jeová Deus” e nutre com seu “alimento espiritual” a noção de que o salão deve ser encarado como o Templo em Jerusalém.

Áquila e Prisca poderiam ter feito comércio lícito (vender tendas - Atos 18:3) em sua própria casa, também na casa de Ninfa ou na casa de Filêmon eles poderiam tratar de assuntos comerciais particulares.

É curioso que a Torre de Vigia dedica (santifica) os edifícios à Deus mas nada a impede de vender (realizar comércio) esses mesmos edifícios que foram previamente dedicados à Jeová Deus. Segundo as próprias ações da torre o salão do Reino é "casa de Deus" quando interessa e casa pra comércio imobiliário quando não interessa mais o “local de adoração”. De fato, na prática, todos os imóveis pertencem à Watchtower e não à Jeová. 

Igrejas organizadas pelo homem constroem “locais de adoração”, “locais que pertencem a Deus” pois na prática elas querem que as pessoas e seus recursos pertençam a ELAS, às religiões. Se a congregação estivesse reunido simplesmente na casa de "Fulano" a liderança religiosa teria seu poder sobre as pessoas (propaganda) diluído. É uma questão de manter as pessoas presas ,escravas, cativas em um lugar, em um “site”. Na prática, para as religiões, tanto o local quanto as pessoas em si são DELAS e não de Deus. 

Lembremos que o ponto focal dos artigos é a nação santa , cujo rei entronizado é Jesus Cristo desde 33 EC quando ele se assentou em seu glorioso trono nos céus como Rei à Destra de Jeová – O Deus Todo-Poderoso. (1 Pedro 3:22, Atos 15:14-18, Col 3:1)
É Jesus Cristo, nosso Senhor que nos trouxe à liberdade. Quaisquer pessoas podem adorar a Jeová unidas na Casa de Fulano ou na de Beltrano...
É uma questão de adorar a Jeová em Espírito e Verdade e não em "Jerusalém" ou naquele "outro Monte" ou "no Salão do Reino".

João 4:21 Jesus disse-lhe: “Acredita-me, mulher: Vem a hora em que nem neste monte, nem em Jerusalém, adorareis o Pai.

A implicação direta da frase acima:
"nem no salão do Reino do bairro tal" 

23 Não obstante, vem a hora, e agora é, quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai com espírito e verdade, pois, deveras, o Pai está procurando a tais para o adorarem. 24 Deus é Espírito, e os que o adoram têm de adorá-lo com espírito e verdade.

Não há "local de adoração" específico, o que interessa para Jeová é receber adoração com espírito e verdade. (Pode ser num barraco da favela, na beira-mar, embaixo de uma ponte, etc)

Não adiante adorarmos a Jeová num local, numa "casa dedicada a Ele" (onde as pessoas dizem "é de Jeová esse lugar", portanto "é santo") e ao mesmo tempo ensinar, promover mentiras.

Jesus demoliu o que as religiões chamam de “locais específicos para adoração” ou “casa de Deus”.

É com as palavras do Mestre Jesus Cristo que finalizo:

João 8:31 E Jesus prosseguiu assim a dizer aos judeus que acreditavam nele: “Se permanecerdes na minha palavra, sois realmente meus discípulos, 32 e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

Apêndice:
No artigos de Sentinela mostrados abaixo, note como o antigo templo de Jeová é implicitamente igualado aos salões do Reino:


w00 1/12 pp. 14-19
14 A viúva Ana, de 84 anos de idade, “nunca estava ausente do templo”. Em resultado disso, estava presente quando o menino Jesus foi levado ali pouco depois de nascer. (Lucas 2:36-38) Você faz questão de nunca faltar às reuniões? Procura fazer o máximo para estar presente em cada sessão de nossas assembléias e congressos? As instruções espiritualmente benéficas recebidas nessas reuniões nos fornecem uma evidência clara de que nosso Pai celestial se importa com o seu povo. (Isaías 40:11) Essas ocasiões também promovem a alegria, e nossa presença demonstra que apreciamos as advertências de Jeová. — Neemias 8:5-8, 12.

w00 15/11 pp. 10-15  
Preste serviço sagrado
11 Outra palavra grega que tem que ver com a nossa adoração é la·treí·a, traduzida “serviço sagrado” na Tradução do Novo Mundo. O serviço sagrado tem que ver com atos de adoração. Por exemplo, diz-se que a viúva e profetisa Ana, de 84 anos de idade, “nunca estava ausente do templo, prestando noite e dia serviço sagrado [uma palavra grega relacionada com la·treí·a], com jejuns e súplicas”. (Lucas 2:36, 37) Ana adorava fielmente a Jeová. Ela é um belo exemplo para todos nós — jovens e idosos, homens e mulheres. Assim como Ana orava fervorosamente a Jeová e o adorava regularmente no templo, nosso serviço sagrado inclui oração e assistência às reuniões.


Leia também 


Nenhum comentário: