quarta-feira, 2 de maio de 2012

Jerusalém e o Reino de Deus


Jerusalém: A expressão do Reino de Jeová na terra até os dias de Jesus.

Essa dissertação visa sobretudo expor como errônea a idea de que Jerusalém deixou de representar simbolicamente o Reino de Jeová na terra após 607 AEC.

Para começar, vejamos o que Jesus Cristo disse sobre essa cidade ou o que ele sentia por Jerusalém quando por volta de 30 EC esteve andando no meio dela:

Mateus 5: 34 No entanto, eu vos digo: Não jureis absolutamente, nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35 nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.

Lucas 19:41 E quando chegou perto, contemplou a cidade [de Jerusalém] e chorou sobre ela.

No primeiro texto, vemos que Jesus ao se referir a coisas (céu , terra e Jerusalém) que representavam simbolicamente as coisas de Deus (trono , escabelo, cidade) Jesus, disse que Jerusalém é a cidade do Grande Rei, ou seja, Jerusalém é a cidade de Jeová. (Salmo 48:1,2)

No segundo texto notamos que Jesus chorou 'sobre Jerusalém'. Alguém poderia ficar espantado em ver um homem como Jesus chorar. A Bíblia fala de uma outra ocasião em que Jesus chorou: a morte de seu amigo Lázaro, note no relato de João 11:35

35 Jesus entregava-se ao choro. 36 Portanto, os judeus começaram a dizer: “Vede, quanta afeição tinha por ele!”

Assim podemos concluir que Jesus possuía bastante afeição por essa cidade: Jerusalém!

Para entendermos melhor porque Jesus chamou Jerusalém de “cidade de Jeová” ou mesmo chorou sobre ela, temos que entender como, desde os tempos antigos, e mesmo nos dias de Jesus, um servo de Jeová encarava ou deveria encarar essa cidade onde o nome de Jeová era invocado.

Os Salmos nos ajudam a ter uma percepção maior dos sentimentos que um servo de Deus deveria ter por esse lugar. Leiamos alguns deles:

Salmo 135:21 Bendito desde Sião seja Jeová, Que reside em Jerusalém. Louvai a Jah!

Note que esse Salmo diz que 'Jeová reside em Jerusalém' – muito similar às palavras de Jesus sobre ela: a cidade do Grande Rei.
Vejamos outros:

Salmo 48:1,2 1 Jeová é grande e para ser louvado muito Na cidade de nosso Deus, [no] seu santo monte. 2 Bonito pela elevação, a exultação da terra inteira, É o monte Sião nos lados remotos do norte, A vila do grandioso Rei.

Note como esse Salmo representa simbolicamente o domínio régio de Jeová sobre a vila [Jerusalém]. Ou seja, como Jerusalém representando o próprio Reino de Deus na terra.

Salmo 132:13 13 Pois Jeová escolheu a Sião; Almejou-a como morada para si mesmo: 14 “Este é meu lugar de descanso para todo o sempre; Ali morarei, pois o almejei.

Salmo 149:1-2 1 Louvai a Jah! Cantai a Jeová um novo cântico, Seu louvor na congregação dos que são leais. 2 Alegre-se Israel com o Grandioso que o fez, Os filhos de Sião — jubilem eles no seu Rei.

Ou seja, Sião representa o próprio Reino de Jeová – seu Rei.

Salmo 147:12 12 Gaba a Jeová, ó Jerusalém. Louva a teu Deus, ó Sião.

Salmo 99:1-2 1 O próprio Jeová se tornou rei. Agitem-se os povos. Ele está sentado sobre os querubins. Estremeça a terra. 2 Jeová é grande em Sião.

Salmo 102:21 21 Para que o nome de Jeová seja declarado em Sião E seu louvor em Jerusalém 

Jerusalém e Sião simbolizam o próprio Reino do rei Jeová na terra.

Salmo 50:2 2 O próprio Deus reluziu de Sião, a perfeição da lindeza.

Salmo 76:2 E seu abrigo mostra ser na própria Salém [Jerusalém], E sua habitação em Sião.

Salmo 128:5 Jeová te abençoará desde Sião. Vê também o bom de Jerusalém todos os dias da tua vida,

Salmo 125:2 2 Jerusalém — assim como os montes estão ao redor dela, Assim Jeová está ao redor do seu povo, Desde agora e por tempo indefinido.

Assim, foi por compartilhar esses mesmos sentimentos por Jerusalém ,conforme expressados por esses Salmos acima, que Jesus disse essas palavras a respeito da cidade de Jerusalém:

“Jerusalém... é a cidade do grande Rei.” Mateus 5:35
“contemplou a cidade e chorou sobre ela. - Lucas 19:41

Jesus, como um judeu de verdade, sabia muito bem nos seus dias o que a cidade de Jerusalém representava aqui na terra: “O Reino de Jeová Deus” - a Teocracia.


'Como se cumpririam as Escrituras, de que tem de realizar-se deste modo? ' - Mateus 26:54

Analisemos uma das mais importantes profecias que Jesus cumpriu em seus dias:

Mateus 21:4-10 
4 Isto aconteceu realmente para que se cumprisse o que fora falado por intermédio do profeta, que disse: 5 “Dizei à filha de Sião: ‘Eis que o teu Rei está vindo a ti, de temperamento brando e montado num jumento, sim, num jumentinho, descendência dum animal de carga.’” 6 Os discípulos foram então e fizeram conforme Jesus lhes ordenara. 7 E trouxeram a jumenta e seu jumentinho, e colocaram sobre estes as suas roupas exteriores, e ele se sentou nelas. 8 A maior parte da multidão estendeu na estrada as suas roupas exteriores, ao passo que outros cortaram ramos das árvores e os espalhavam pela estrada. 9 Quanto às multidões, os que lhe precediam e os que lhe seguiam clamavam: “Salva, rogamos, o Filho de Davi! Bendito é aquele que vem em nome de Jeová! Salva-o, rogamos, nas maiores alturas!” 10 Entrando ele então em Jerusalém, a cidade inteira ficou em comoção, dizendo: “Quem é este?” 11 As multidões diziam: “Este é o profeta Jesus, de Nazaré da Galiléia!”

O Rei Entrando em seu Reino: 
'Dizei à filha de Sião' (Jerusalém personificada) 
'Eis que o teu Rei está vindo a ti'

A profecia é então cumprida quando Jesus – qual Rei – entra em seu Reino – conforme representado por Jerusalém – filha de Sião.

Lembre-se dos Salmos: 
Salmo 147:12 
12 Gaba a Jeová, ó Jerusalém. Louva a teu Deus, ó Sião. 

Salmo 14:7(a)
7 Quem dera que viesse de Sião a salvação de Israel!

O fato é que se Jerusalém não mais representasse o Reino de Jeová na terra desde 607 AEC, tampouco essa mesma profecia poderia ser cumprida! Ela não teria condições de se cumprir - Como se cumpririam as Escrituras, de que tem de realizar-se deste modo?.
 Essa profecia falava do rei designado por Jeová – Jesus, chegar até o Reino de Deus – conforme representado por Jerusalém -filha de Sião – a Cidade do Grande Rei. Assim seria obrigatório do ponto de vista profético tanto Sião bem como Jerusalém manterem o mesmo significado que tinham desde os dias dos Salmos, a saber: representarem Jeová e Seu Reino, isso antes e depois de 607 EC.

Essa profecia expressava que apenas o Reino de Deus – conforme simbolizado por Sião e Jerusalém proveria os meios de Salvação para todos. Era esse todo o significado de Jesus, o Rei designado, ir e entrar em Jerusalém: o Reino de Deus.

“É por isso que vos digo: O reino de Deus vos será tirado e será dado a uma nação que produza os seus frutos.” - Mateus 21:43

Os judeus granjeavam de muitos privilégios nos dias de Jesus: possuíam Jerusalém, que representava o próprio Reino de Deus na terra junto com o seu Templo , onde “Jeová habitava” bem como o próprio Rei desse Reino - Jesus estava presente no “meio deles”. 
Sabemos que o propósito de Deus para com os judeus era que estes ocupassem tronos e fossem reis e sacerdotes ao lado de Jesus – Rev 5:10, Rev 14:1.

 Êxodo 19:6 E vós mesmos vos tornareis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.’ Estas são as palavras que deves dizer aos filhos de Israel.”

Mas os líderes religiosos não estavam interessados num governo celestial (sem coroas , turbantes, vastos territórios) – eles queriam um líder político. 
Assim eles rejeitaram em sua grande maioria o Reino de Deus – dizendo: “Não temos rei senão César.”

Por isso Jesus o abaixo:
“O reino de Deus vos será tirado”

Os judeus nos dias de Jesus ainda estavam pactuados com o Reino de Deus: Possuíam Jerusalém: a cidade do Grande Rei – simbolizando o Reino de Deus na terra.
Possuíam o Messias: o Rei designado para o Reino – indo em direção do simbólico Reino – Jerusalém
Portanto essa nação deveria produzir os seus frutos, a saber: os filhos do Reino – os reis e sacerdotes para reinarem nos céus.

Mas conforme o próprio Jesus pasmado afirmava constantemente durante o seu ministério: “Em ninguém em Israel tenho encontrado tamanha fé.” - ele encontrava pessoas das nações com mais fé do que os que por direito e dever deveriam ter sido os filhos do Reino.

Mateus 8:10
 Ouvindo isso, Jesus ficou pasmado e disse aos que o seguiam: “Em verdade vos digo: Em ninguém em Israel tenho encontrado tamanha fé. 11 Mas, eu vos digo que muitos virão das regiões orientais e das regiões ocidentais e se recostarão à mesa junto com Abraão, Isaque e Jacó, no reino dos céus; 12 ao passo que os filhos do reino serão lançados na escuridão lá fora. Ali é que haverá o [seu] choro e o ranger de [seus] dentes.”

os filhos do reino serão lançados na escuridão lá fora

Foi exatamente isso o que ocorreu com os judeus daquela época, eles tinham tudo em relação ao Reino: Jerusalém: a cidade do grande Rei, simbolizando o Reino de Deus , Templo: onde Jeová habitava, o Messias: O rei designado.
Contudo faltou-lhes fé em Jeová, em Seu Reino e no Seu Messias.
Por isso foram 'lançados na escuridão lá fora' – perderam o
Reino.

O certo seriam agir conforme o Salmo que lemos: “Os filhos de Sião [filhos do Reino] — jubilem eles no seu Rei.”

Vemos então que não foi à toa que Jesus 'contemplou a cidade [de Jerusalém] e chorou sobre ela.'

Aquela que por séculos representara o Reino de Deus na terra ficaria por fim abandonada.

Portanto vimos que mesmo após 607 AEC, Jerusalém obrigatoriamente – por causa das próprias Escrituras - manteve o seu papel, a saber: a representação do Reino de Deus na terra.

É digno de nota o fato que Jeová nunca deixou de ter uma representação para o Seu Reino aqui na terra:

1) Melquisedeque, sacerdote do Deus Altíssimo e rei de Salém (antiga Jerusalém) - Gen 14:18

2) Jerusalém 'a cidade do Grande Rei' onde Jeová 'residia'. 

3) Jerusalém celestial: a congregação de cristãos ungidos
composta por pessoas de todas as nações.

Assim quão apropriadas são as palavras do Salmo 93:1-2
1 O próprio Jeová se tornou rei! Reveste-se de alteza; Jeová está vestido — cingiu-se de força. Também o solo produtivo fica firmemente estabelecido de modo que não pode ser abalado. 2 Teu trono está firmemente estabelecido desde há muito; Tu és desde tempo indefinido.

Sempre existiu na terra um lugar onde se pudesse invocar o nome do Deus verdadeiro Jeová – ou seja, um lugar onde o próprio Jeová é rei!

Nenhum comentário: