domingo, 25 de maio de 2014

O Fim do Atual Sistema de coisas da WatchTower e a Geração que não passará.

Quem conhece profundamente a Organização das Testemunhas de Jeová, sabe que a principal doutrina dessa organização é o dogma de 1914.

Toda a hierarquia de Autoridade Governamental dessa organização se apóia sobre os alicerces da doutrina de 1914.

Em dezenas de artigos desse blog venho demonstrando logicamente que os alicerces dessa doutrina estão comprometidos, são ocos, fundados sobre a Areia e não sobre a Rocha.

Infelizmente a vasta maioria das pessoas que divulgam assiduamente esse dogma de 1914 como sendo "a verdade revelada pelo canal de Deus" não está disposta a nem sequer pensar na hipótese dessa doutrina estar equivocada. Quanto menos estão dispostos a escrutiná-la efetivamente. É por isso que essa doutrina caracteriza-se como um Dogma. Pois na mente dessas pessoas, é um Conceito Inquestionável. (Da mesma forma que a Trindade o é para os trinitaristas)
 
Realmente não temos como obrigar pessoas a raciocinar. Só temos como deixar brilhar o nosso próprio raciocínio na esperança de que ele brilhe na escuridão de algumas mentes.

Mas, além da Lógica (Logos), a Verdade ainda possui um outro Aliado, um aliado que não depende da receptividade de pessoas: O Tempo.

A Verdade nunca é ameaçada com a passagem do Tempo.

A Mentira é ameaçada com a passagem do Tempo.

Assim, qual a relação da doutrina de 1914 com a passagem de tempo?

Para responder isso, vejamos como outras doutrinas associadas à datas se comportaram com a passagem do tempo:

- 1874 iniciou-se a presença invisível de Cristo e em 1914 virá o fim (Armagedom) do sistema de coisas (Estudos das Escrituras , Vol II , Sentinela 15 de Junho de 1911 p.190 – Em Inglês )

- "Nós não temos quaisquer dúvidas em relação à cronologia relacionada às datas de 1874, 1914, 1918, e 1925." - Sentinela 15 de Maio de 1922 página 147 em inglês.



A Mentira é ameaçada com a passagem do Tempo: "Nós não temos quaisquer dúvidas em relação à cronologia relacionada às datas de 1874"

Tanto o ensinamento vinculado com a data de 1874 como quem o ensinava já estão mortos. Não  resistiram ao Tempo.  A mentira não permanece para sempre.

Em 2014, as testemunhas estão comemorando aniversário (fato irônico) dos 100 (cem) anos do toque da sétima trombeta, a saber, cem anos de que “o reino do mundo tornou-se o reino de nosso Senhor e do seu Cristo".  (Rev 11:15)

Conforme disse, Charles Taze Russel, um dos principais patrocinadores da doutrina de 1914 (obviamente não em sua atual camuflagem) :

"Essa será uma questão interessante daqui a cem anos; e se alguém conseguir calcular e raciocinar melhor, ainda estará interessado no que apresentamos." - (A Torre de Vigia de Sião – 1 Julho de 1914 em Inglês.

               "daqui a cem anos"   "será uma questão interessante"

Ou seja, com a passagem do tempo, a doutrina se torna obviamente Uma "Questão Interessante" - Algo a ser questionado, escrutinado, posto à prova.

De fato, basta "conseguir raciocinar melhor" para demonstrar as inconsistências lógicas dessa doutrina.  Mas Raciocinar é uma ação que depende do Livre Arbítrio.  Estamos em tempos que muitos estão sob o cativeiro mental imposto por toda sorte de Corpo Governante humano (político-religioso). De modo que em vez de se tornar uma "questão interessante" , se tornou um Dogma Inquestionável.

Se Agora em 2014 a doutrina de 1914 é uma "questão interessante". Quanto mais o será daqui a uns 20 ou 30 anos. Imaginem 2034, 2044

Daniel 11:14 “E os filhos dos salteadores do teu povo, da sua parte, serão levados a tentar fazer uma visão tornar-se realidade; e terão de tropeçar.

                           "uma visão tornar-se realidade"

Dá para entender o desespero da WatchTower por uma Nova Ordem Mundial: "tentar fazer uma visão tornar-se realidade"

Afinal de contas, essa geração de pessoas adultas que estão atualmente em seus 30 anos, 40 anos, quem sabe até 50/60 anos de idade não passará sem ver o fim do Sistema de coisas da WatchTower conforme o conhecemos em 2014. 

Estamos entre a geração que não passará sem antes ver o Fim do Atual Sistema de coisas da WatchTower.

De fato, a WatchTower entrou em seus últimos dias.


2014 - A geração que testemunhará o Fim da atual WatchTower

quinta-feira, 1 de maio de 2014

O Templo: O Lugar do meu trono na terra - A representação terrestre do Governo de Deus

Desde que esse blog entrou no ar, tenho dissertado sobre a Verdadeira Definição daquilo que constitui a Embaixada ou Representação terrestre do Governo de Deus.

Conforme escrito em um dos primeiros artigos desse blog:

O Reino de Deus é representado pelo lugar em que Jah faz residir o seu Nome, ou seja, Seu Espírito, Sua Personalidade.

De modo que a representação terrestre Do Reino [R] de Deus (Jah) , pode ser modelada matematicamente por:
  R = J/D

Se sendo "D" a relutância em obedecer ou imitar a Personalidade de Deus.

Nesse mesmo artigo concluímos que:

O Governo de Deus (sua representação ou símbolo ou realização terrestre) não depende da existência de uma implementação física ou material de uma realeza ou monarquia [ou qualquer outra hierarquia] humana,o Reino de Deus não depende da existência de liderança humana com autoridade máxima sobre seu povo, ou seja, não depende de reis se assentando em tronos literais, usando uma coroa ou granjeando oficialmente de privilégios políticos ou materiais sobre o povo.

No artigo de hoje em particular gostaria de chamar a atenção de um texto bíblico que se harmoniza completamente com esse fato, a saber, Que o Reino de Deus é representado pelo "lugar" onde o Espírito de Deus Habita.

Lemos em Ezequiel 43:6-7
 6 E comecei a ouvir alguém falar comigo de dentro da Casa, e [o] próprio homem viera a ficar de pé ao meu lado. 7 E ele prosseguiu, dizendo-me:
“Filho do homem, [este é] o lugar do meu trono e o lugar das solas dos meus pés, onde residirei no meio dos filhos de Israel por tempo indefinido;  e eles, a casa de Israel, não mais profanarão o meu santo nome, eles e seus reis, com a sua fornicação e com os cadáveres de seus reis na sua morte 

Nesses versos estamos praticamente recitando a relação definida R = J/D . Considere:

O Reino de Deus [R] - "A Casa" , "o lugar do meu trono"

Depende proporcionalmente:

Do lugar onde o Espírito de Deus habita [J]: "onde residirei no meio"

Depende inversamente da 

Relutância / Desobediência (D): "profanarão o meu santo nome" , "sua fornicação e com os cadáveres de seus reis"


Saber desse fundamento  - Que o Governo de Deus equivale à residência do Seu Espírito - nos ajuda a desmantelar conceitos errados, tais como as premissas nas quais a doutrina de 1914 depende, a saber:

(A) Que o governo de Deus era representado pelos reis em Jerusalém – Livro Bíblia Ensina página 217 parágrafo 2.
(B) Que o governo de Deus (sua representação terrestre) seria interrompido – Livro Bíblia Ensina página 217 parágrafo 2.
(C) Que em 607 AEC terminou a representação do Reino de Deus na terra – Livro Clímax de Revelação página 105 , quadro “1914 foi previsto”
(D) Que o “trono de Davi” ou “trono de Jeová” ocupado por reis descendentes de Davi ficou vago por 2520 anos - Livro Bíblia Ensina páginas 216 e 217

(Para mais detalhes leia:
Demolindo a doutrina de 1914
 Carta para a Torre de Vigia)


Continuemos a "minerar" ainda mais esse texto de Ezequiel:

"A Casa ou Templo ou local de Habitação este é o lugar do meu trono onde residirei"

Jesus Cristo reconheceu muito bem a representação terrestre do Governo de Deus em seus dias, ele reconheceu o grande Rei que estava "sentado no trono" dentro da Casa:

Mateus 5: 35 "...Não jureis absolutamente... nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.
Mateus 23:21 "e quem jurar pelo templo, está jurando por ele e por aquele que habita nele; "

  "A Casa: é o lugar do meu trono onde residirei [habitarei]"

Um detalhe muito interessante no verso de Ezequiel é a frase: "o lugar das solas dos meus pés".

Essa frase demonstra que esse "trono" ou "reino" refere-se justamente à representação TERRESTRE do Governo de Deus. Conforme Jesus Cristo disse: A terra é o escabelo dos pés de Deus. (Mateus 5:35). De modo que esse "trono" ou domínio está relacionado à jurisdição do Governo na terra.

Portanto a Casa ou Templo trata-se da embaixada ou representação do lugar do trono de Deus na terra, ou em outras palavras, a Casa ou Templo refere-se à representação terrestre do Governo de Deus ou "embaixada terrestre".

Posto isto, sabemos que a representação terrestre do Governo de Deus nunca sofreu interrupção: ela sempre vigorou seja por meio da "tenda de reunião", ou por meio do Templo de Jerusalém ("A Casa de meu Pai") antes e depois de 607 AEC e sobretudo na sua maior expressão de todos os tempos: o Templo erguido por Jesus Cristo.


João 2:19 Em resposta, Jesus disse-lhes: “Demoli este templo, e em três dias o levantarei.” 20 Os judeus disseram, portanto: “Este templo foi construído em quarenta e seis anos, e tu o levantarás em três dias?” 21 Mas ele estava falando do templo do seu corpo. 

Foi em Jesus Cristo que o Templo de Deus assumiu a sua Verdadeira Natureza e Semântica.

Jesus, como pedra angular do Templo, abriu o Caminho para que outras "pedras" fossem erguidas sobre o mesmo Alicerce. Pedras assentadas pela argamassa que é o Espírito e a Verdade . Verdadeiras Pedras de Verdadeiros Adoradores para compor um Verdadeiro Templo. (Mateus 21:42, João 14:6, 1 Cor 3:16, 2 Cor 6:16)

Como temos exaustivamente salientado, o Templo de Deus é sinônimo da Representação Terrestre do Reino de Deus. E a partir de Jesus Cristo, esse templo é constituído por pessoas. 

Essa representação do Governo de Deus por meio do Templo constituído por pessoas está em Perfeita harmonia com o Reino de Deus: O Reino do Dador do Livre Arbítrio.

O que torna legítimo um Reino não é a Tirania/Poder do Governante, e sim a Livre Escolha do Súdito: Um ato de livre Arbítrio. O Governo de Deus é Legitimado por meio do súdito. De modo que o Verdadeiro Templo Vindica a Soberania de Deus ou torna legítimo o seu Governo - baseado no livre-arbítrio.

Pertencer ao Governo de Deus depende da escolha do súdito. Ninguém é obrigado a pertencer a este Governo.

"o lugar do meu trono e o lugar das solas dos meus pés, onde residirei"

Jesus Cristo descreveu o processo de "iniciação/admissão" no Reino de Deus, totalmente baseado no livre arbítrio:

João 14:21 Quem tem os meus mandamentos e os observa, este é o que me ama. Por sua vez, quem me ama, será amado por meu Pai, e eu o amarei e me mostrarei claramente a ele.”

21 Aquele que conhece os meus mandamentos e os obedece [Prática do Livre Arbítrio], é esse que me ama. Aquele que me ama será amado por meu Pai e eu também o amarei e me revelarei a ele.(Easy to Read Version:)

23 Em resposta, Jesus disse-lhe: “Se alguém me amar, observará a minha palavra, e meu Pai o amará, e nós iremos a ele e faremos a nossa residência [Casa] com ele. 24 Quem não me ama, não observa as minhas palavras; e a palavra que estais ouvindo não é minha, mas pertence ao Pai que me enviou.


Nessas Palavras temos novamente a Função do Reino:
R = J/D

[J]  - Aquele que conhece os meus mandamentos e os obedece,  e faremos a nossa residência [Casa / Reino] com ele,  me revelarei a ele. (Habitação e Manifestação pelo Espírito da Verdade)   - "  "me revelarei a ele [ao súdito]"  "faremos a nossa residência [Casa] com ele [com o súdito]."


[D] - Desobediência / Relutância: "Quem não me ama, não observa as minhas palavras" (Quem não me obedece não faz parte do meu reino) (D -> oo , R -> 0 )

De modo que a Vindicação (Legitimidade) do Governo de Deus na Terra se dá por meio do arbítrio do Súdito.

Portanto, é por meio da Casa de súditos ("aquele que conhece os meus mandamentos e os obedece") que o Reino de Deus se expressa:

“Filho do homem, [este é] o lugar do meu trono [justamente o Templo de Súditos que torna o Trono Legítimo] e o lugar das solas dos meus pés, onde residirei" - Eze 43:6-7

Veja também:
 - Eu o amarei e me mostrarei claramente
O lugar da minha casa, do meu trono na terra - vídeo
 - As inconsistências de um Dogma - vídeo