quinta-feira, 28 de junho de 2012

"Como foi nos dias de Noé" - (NVI-PT)


A Conclusão ou Terminação do sistema de coisas nos dias de Noé, durou o tempo suficiente para Noé realizar o trabalho que faltava: adentrar e acomodar os animais na arca. A comparação entre os dias de Noé e a presença de Cristo não é em relação à quantidade de Tempo e sim nos Eventos ou acontecimentos que ocorreram.
A terminação do sistema coincidiu com a conclusão do trabalho de Noé e não com todo o trabalho de Noé desde que começou construir a arca. Qual a base desse raciocínio? Vejamos:

os dias de Noé”

Mateus 24 37 Pois assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem.
Alguns usam esse texto isoladamente para induzir a seguinte identidade:

"os dias de Noé" = "a presença do Filho do homem" (Hipótese 1 - H1)

Mas isso é uma dedução falha, pois os dias de Noé (pré diluvianos) incluem os 600 anos desde seu nascimento até o dilúvio. Todos esses 600 anos podem ser incluídos nos "dias de Noé" se a identidade acima for considerada literal ou isoladamente.
Portanto vemos a necessidade de particionar os "dias de Noé" em momentos ou eventos decisivos apropriados:

Conclusão (1) - Os dias de Noé não correspondem literalmente ou integralmente à presença do Filho do Homem. Há a necessidade de partição desses “dias de Noé”.

Desse fato, já percebemos que a hipótese H1 é falsa.

Portanto faz-se por direito a questão: Que parte específica dos “dias de Noé” corresponderam à terminação?

Bom, os dias de Noé podem ser divididos em várias fases ou Eventos importantes:

  1. Noé Antes do trabalho com a arca ( antes do pacto com Deus)
  2. Noé pactuado para trabalhar na Arca sob a promessa de Entrar na Arca.
  3. Noé fez exatamente assim, conclui a Arca
  4. Noé Entra na Arca, trabalha no ajuntamento dos animais
  5. Dilúvio

Colocar a terminação em qualquer um destes 5 eventos (1,2,3,4,5) deve ser acompanhado por uma justificativa. Não podemos colocar a terminação em um desses eventos de forma arbitrária.

É Justamente as palavras de Jesus que nos ajudam identificar o evento importante que marcou a terminação:

Mat 24: 37 Pois assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem. 38 Porque assim como eles eram naqueles dias antes do dilúvio, comendo e bebendo, os homens casando-se e as mulheres sendo dadas em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, 39 e não fizeram caso, até que veio o dilúvio e os varreu a todos, assim será a presença do Filho do homem.

Jesus descreveu 3 eventos em relação aos dias de Noé por meio da preposição até.
A preposição até indica o momento no tempo em que certo processo ou estado sofre alteração ou mudança.

[Estado(1)] Comiam e bebiam....até o dia em que Noé entrou na arca [Estado (2)].....até que veio o dilúvio [Estado (3)]

Voltemos à pergunta:

Que parte específica dos “dias de Noé” corresponderam à terminação?

Baseando-se nas palavras de Jesus, a terminação corresponde ao Evento intermediário desde que Noé entra na Arca até o fim Diluviano.

Tal entendimento também está em harmonia com todo o contexto de Gênesis cap 6 e cap 7. Note:
O pacto de Jeová a Noé envolvia construir a arca e alojar os animais.

Quando Noé concluiu o seu trabalho? Quando foi a terminação do trabalho de Noé? Quando Noé efetuou o seu trabalho conclusivo?

Noé efetuou seu trabalho conclusivo já pactuamente compensado (ele já havia recebido a autorização de entrar e residir na arca)

Gen 7:1 Após isso, Jeová disse a Noé: “Entra na arca, tu e todos os da tua casa, (recebeu aprovação do pacto)
Gen 7:5 E Noé passou a fazer segundo tudo o que Jeová lhe mandara. (a terminação do trabalho de Noé)
A terminação do trabalho de Noé ocorreu no tempo suficiente para a conclusão de seu trabalho.

Essa interpretação também está em harmonia com o que acontece no caso dos Ungidos:
  • Pactuados para um Reino (Lucas 22:29)
  • Ordenados a trabalhar, construção do Templo (Mateus 28:18-20)
  • Entram na arca” ou herdam o reino (Início daPresença de Cristo)
  • Trabalho final durante o “dia do Senhor” (testemunho final, eventos durante o dia do Senhor)
  • Armagedom (fim)
Por outro lado, consideremos a hipótese:

A Terminação do sistema como sendo o início do trabalho de Noé em construir a arca

A terminação coincide com o cumprimento do pacto do reino para os ungidos ( ressurreição dos ungidos para o reino e a presença ou jurisdição do reino na terra )
Será que Noé já havia recebido o pacto no início de seu trabalho?Claro que não. O relato mostra que não (Gen 6).
Se colocarmos a terminação daquele sistema como o tempo em que Noé inicia o trabalho da arca, eqüivaleria dizer que todos os ungidos trabalharam já com o pacto do reino cumprido. Mas dessa forma o paralelo não casa, não é perfeito. Seria o caso das palavras de Paulo: “Será que já começastes a reinar?”

Ademais, além da divergência acima em termos do paralelo profético, colocaríamos a terminação como o início da construção da Arca baseado em que? Arbitrariamente?

Considere ainda outro ponto, em termos de paralelo profético (conforme elucidado por Jesus)

Será que Noé soube com antecedência a data de início da terminação ( fosse ela o início do trabalho ou a conclusão do trabalho) ?
Não. Noé não soube com antecedência nem quando deveria começar a trabalhar na arca e nem quando poderia estabelecer residência na arca. Ele apenas soube com antecedência o dia do Fim Diluviano (Te-los). É isso que os “dias de Noé” indicam.

Por que desprezaríamos esse detalhe do paralelo profético?
Do paralelo acima, os cristãos também não saberão o início da terminação.

Ainda leve em conta o seguinte: O ajuntamento e entrada sobrenatural dos animais à arca.
Esse acontecimento com certeza deixaria qualquer pessoa sincera no mínimo “intrigada”. Seria um “sinal” para ela de que algo estranho estava para ocorrer. Mais um paralelo profético a ocorrer durante a presença: Sinais Espetaculares. Ocorreu esse sinal espetacular (sobre-humano) desde que Noé iniciou a construção da arca?
A terminação do sistema antigo foi acompanhado de “sinais espetaculares”.

Esse paralelo profético que leva em conta o último período de tempo ( na Bíblia período costuma ser em passos de 7) também está em harmonia com as palavras de Jesus em Mateus 13: 39

e o inimigo que o semeou é o Diabo. A colheita é a terminação dum sistema de coisas e os ceifeiros são os anjos. 40 Portanto, assim como o joio é reunido e queimado no fogo, assim será na terminação do sistema de coisas. 41 O Filho do homem enviará os seus anjos, e estes reunirão dentre o seu reino todas as coisas que causam tropeço e os que fazem o que é contra a lei”

Na terminação dos “dias de Noé” podemos dizer que “foram os anjos” que recolheram os animais até a arca, Noé apenas os recepcionou.

Contudo na interpretação de 1914, qual é a importância da frase dita por Jesus:
até o dia em que Noé entrou na arca, 39 e não fizeram caso”
até o dia em que Noé entrou na arca,39 e não o perceberam” (Almeida)
até o dia em que Noé entrou na arca; 39 e eles nada perceberam” (NVI)

A interpretação conforme 1914 não dá nenhuma relevância à frase “até o dia em que Noé entrou na arca, e não fizeram caso”

Será que podemos desconsiderar arbitrariamente uma passagem Bíblica tão rica em detalhes conforme descrito no capítulo 7 de Gênesis ? A saber: O dia em Jeová ordena a Noé: “Entra na Arca” seguido do trabalho conclusivo de Noé já com a permissão de residir na arca bem como os sinais que ocorreram nesse período.

O Fato é que Jesus forneceu uma descrição rica em detalhes de modo a nos atentarmos até mesmo numa partícula de suas palavras. Jesus nos orientou a não desconsiderar detalhes:

Mateus 5: 18 pois, deveras, eu vos digo que antes passariam o céu e a terra, do que passaria uma só letra menor ou uma só partícula duma letra da Lei sem que tudo se cumprisse.

Não devemos levar em conta esse princípio ao considerar as palavras proféticas de Jesus em Mateus 24:37-39 ?

Forjar uma interpretação com base apenas nas seguintes palavras:

Mateus 24 37 “Pois assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem.”
E assim induzir:
os dias de Noé” = “a presença do Filho do homem”.

Fazer isso sem levar em conta todo o contexto bem como o registro Bíblico do acontecimento, eqüivale então, com toda justiça, usar o texto de João 10:30:
Eu e o Pai somos um.”

A fim de demonstrar que Jesus e Jeová são parte de uma Trindade, fazendo-o sem levar em conta o resto das Escrituras e nem a conotação da sentença. (De fato Jeová e Jesus não são parte de uma Trindade)

Devemos sempre manter nossa metodologia de interpretação Bíblica em todos os nossos ensinamentos e não apenas quando nos interessa.

Portanto se quisermos manter a harmonia com as Escrituras somos obrigados a levar em conta todas as palavras de Jesus bem como todos os eventos relacionados com “os dias de Noé”


Leia também
Dissertação parousia
presença de Cristo e a terminação

Nenhum comentário: