quinta-feira, 28 de junho de 2012

"Como foi nos dias de Noé" - (NVI-PT)


A Conclusão ou Terminação do sistema de coisas nos dias de Noé, durou o tempo suficiente para Noé realizar o trabalho que faltava: adentrar e acomodar os animais na arca. A comparação entre os dias de Noé e a presença de Cristo não é em relação à quantidade de Tempo e sim nos Eventos ou acontecimentos que ocorreram.
A terminação do sistema coincidiu com a conclusão do trabalho de Noé e não com todo o trabalho de Noé desde que começou construir a arca. Qual a base desse raciocínio? Vejamos:

os dias de Noé”

Mateus 24 37 Pois assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem.
Alguns usam esse texto isoladamente para induzir a seguinte identidade:

"os dias de Noé" = "a presença do Filho do homem" (Hipótese 1 - H1)

Mas isso é uma dedução falha, pois os dias de Noé (pré diluvianos) incluem os 600 anos desde seu nascimento até o dilúvio. Todos esses 600 anos podem ser incluídos nos "dias de Noé" se a identidade acima for considerada literal ou isoladamente.
Portanto vemos a necessidade de particionar os "dias de Noé" em momentos ou eventos decisivos apropriados:

Conclusão (1) - Os dias de Noé não correspondem literalmente ou integralmente à presença do Filho do Homem. Há a necessidade de partição desses “dias de Noé”.

Desse fato, já percebemos que a hipótese H1 é falsa.

Portanto faz-se por direito a questão: Que parte específica dos “dias de Noé” corresponderam à terminação?

Bom, os dias de Noé podem ser divididos em várias fases ou Eventos importantes:

  1. Noé Antes do trabalho com a arca ( antes do pacto com Deus)
  2. Noé pactuado para trabalhar na Arca sob a promessa de Entrar na Arca.
  3. Noé fez exatamente assim, conclui a Arca
  4. Noé Entra na Arca, trabalha no ajuntamento dos animais
  5. Dilúvio

Colocar a terminação em qualquer um destes 5 eventos (1,2,3,4,5) deve ser acompanhado por uma justificativa. Não podemos colocar a terminação em um desses eventos de forma arbitrária.

É Justamente as palavras de Jesus que nos ajudam identificar o evento importante que marcou a terminação:

Mat 24: 37 Pois assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem. 38 Porque assim como eles eram naqueles dias antes do dilúvio, comendo e bebendo, os homens casando-se e as mulheres sendo dadas em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, 39 e não fizeram caso, até que veio o dilúvio e os varreu a todos, assim será a presença do Filho do homem.

Jesus descreveu 3 eventos em relação aos dias de Noé por meio da preposição até.
A preposição até indica o momento no tempo em que certo processo ou estado sofre alteração ou mudança.

[Estado(1)] Comiam e bebiam....até o dia em que Noé entrou na arca [Estado (2)].....até que veio o dilúvio [Estado (3)]

Voltemos à pergunta:

Que parte específica dos “dias de Noé” corresponderam à terminação?

Baseando-se nas palavras de Jesus, a terminação corresponde ao Evento intermediário desde que Noé entra na Arca até o fim Diluviano.

Tal entendimento também está em harmonia com todo o contexto de Gênesis cap 6 e cap 7. Note:
O pacto de Jeová a Noé envolvia construir a arca e alojar os animais.

Quando Noé concluiu o seu trabalho? Quando foi a terminação do trabalho de Noé? Quando Noé efetuou o seu trabalho conclusivo?

Noé efetuou seu trabalho conclusivo já pactuamente compensado (ele já havia recebido a autorização de entrar e residir na arca)

Gen 7:1 Após isso, Jeová disse a Noé: “Entra na arca, tu e todos os da tua casa, (recebeu aprovação do pacto)
Gen 7:5 E Noé passou a fazer segundo tudo o que Jeová lhe mandara. (a terminação do trabalho de Noé)
A terminação do trabalho de Noé ocorreu no tempo suficiente para a conclusão de seu trabalho.

Essa interpretação também está em harmonia com o que acontece no caso dos Ungidos:
  • Pactuados para um Reino (Lucas 22:29)
  • Ordenados a trabalhar, construção do Templo (Mateus 28:18-20)
  • Entram na arca” ou herdam o reino (Início daPresença de Cristo)
  • Trabalho final durante o “dia do Senhor” (testemunho final, eventos durante o dia do Senhor)
  • Armagedom (fim)
Por outro lado, consideremos a hipótese:

A Terminação do sistema como sendo o início do trabalho de Noé em construir a arca

A terminação coincide com o cumprimento do pacto do reino para os ungidos ( ressurreição dos ungidos para o reino e a presença ou jurisdição do reino na terra )
Será que Noé já havia recebido o pacto no início de seu trabalho?Claro que não. O relato mostra que não (Gen 6).
Se colocarmos a terminação daquele sistema como o tempo em que Noé inicia o trabalho da arca, eqüivaleria dizer que todos os ungidos trabalharam já com o pacto do reino cumprido. Mas dessa forma o paralelo não casa, não é perfeito. Seria o caso das palavras de Paulo: “Será que já começastes a reinar?”

Ademais, além da divergência acima em termos do paralelo profético, colocaríamos a terminação como o início da construção da Arca baseado em que? Arbitrariamente?

Considere ainda outro ponto, em termos de paralelo profético (conforme elucidado por Jesus)

Será que Noé soube com antecedência a data de início da terminação ( fosse ela o início do trabalho ou a conclusão do trabalho) ?
Não. Noé não soube com antecedência nem quando deveria começar a trabalhar na arca e nem quando poderia estabelecer residência na arca. Ele apenas soube com antecedência o dia do Fim Diluviano (Te-los). É isso que os “dias de Noé” indicam.

Por que desprezaríamos esse detalhe do paralelo profético?
Do paralelo acima, os cristãos também não saberão o início da terminação.

Ainda leve em conta o seguinte: O ajuntamento e entrada sobrenatural dos animais à arca.
Esse acontecimento com certeza deixaria qualquer pessoa sincera no mínimo “intrigada”. Seria um “sinal” para ela de que algo estranho estava para ocorrer. Mais um paralelo profético a ocorrer durante a presença: Sinais Espetaculares. Ocorreu esse sinal espetacular (sobre-humano) desde que Noé iniciou a construção da arca?
A terminação do sistema antigo foi acompanhado de “sinais espetaculares”.

Esse paralelo profético que leva em conta o último período de tempo ( na Bíblia período costuma ser em passos de 7) também está em harmonia com as palavras de Jesus em Mateus 13: 39

e o inimigo que o semeou é o Diabo. A colheita é a terminação dum sistema de coisas e os ceifeiros são os anjos. 40 Portanto, assim como o joio é reunido e queimado no fogo, assim será na terminação do sistema de coisas. 41 O Filho do homem enviará os seus anjos, e estes reunirão dentre o seu reino todas as coisas que causam tropeço e os que fazem o que é contra a lei”

Na terminação dos “dias de Noé” podemos dizer que “foram os anjos” que recolheram os animais até a arca, Noé apenas os recepcionou.

Contudo na interpretação de 1914, qual é a importância da frase dita por Jesus:
até o dia em que Noé entrou na arca, 39 e não fizeram caso”
até o dia em que Noé entrou na arca,39 e não o perceberam” (Almeida)
até o dia em que Noé entrou na arca; 39 e eles nada perceberam” (NVI)

A interpretação conforme 1914 não dá nenhuma relevância à frase “até o dia em que Noé entrou na arca, e não fizeram caso”

Será que podemos desconsiderar arbitrariamente uma passagem Bíblica tão rica em detalhes conforme descrito no capítulo 7 de Gênesis ? A saber: O dia em Jeová ordena a Noé: “Entra na Arca” seguido do trabalho conclusivo de Noé já com a permissão de residir na arca bem como os sinais que ocorreram nesse período.

O Fato é que Jesus forneceu uma descrição rica em detalhes de modo a nos atentarmos até mesmo numa partícula de suas palavras. Jesus nos orientou a não desconsiderar detalhes:

Mateus 5: 18 pois, deveras, eu vos digo que antes passariam o céu e a terra, do que passaria uma só letra menor ou uma só partícula duma letra da Lei sem que tudo se cumprisse.

Não devemos levar em conta esse princípio ao considerar as palavras proféticas de Jesus em Mateus 24:37-39 ?

Forjar uma interpretação com base apenas nas seguintes palavras:

Mateus 24 37 “Pois assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem.”
E assim induzir:
os dias de Noé” = “a presença do Filho do homem”.

Fazer isso sem levar em conta todo o contexto bem como o registro Bíblico do acontecimento, eqüivale então, com toda justiça, usar o texto de João 10:30:
Eu e o Pai somos um.”

A fim de demonstrar que Jesus e Jeová são parte de uma Trindade, fazendo-o sem levar em conta o resto das Escrituras e nem a conotação da sentença. (De fato Jeová e Jesus não são parte de uma Trindade)

Devemos sempre manter nossa metodologia de interpretação Bíblica em todos os nossos ensinamentos e não apenas quando nos interessa.

Portanto se quisermos manter a harmonia com as Escrituras somos obrigados a levar em conta todas as palavras de Jesus bem como todos os eventos relacionados com “os dias de Noé”


Leia também
Dissertação parousia
presença de Cristo e a terminação

Falei ao mundo publicamente - julgais por vós mesmos o que é justo


Será que o Estudo da Bíblia deve ser feito como se fôssemos um criminoso de modo a nos mantermos escondidos?

Deveríamos Estudar e Analisar a Palavra de Deus como se fôssemos “sociedades secretas”?

De que modo Jesus ensinava? (Jesus, o Instrutor, Ensinava (com maiúscula alegorizante), Nós buscamos o Ensino de Cristo e tentamos ajudar o nosso próximo a fazer o mesmo )

Quem poderia ouvir o Ensino de Cristo?

João 18:19 E o principal sacerdote interrogou assim Jesus sobre os seus discípulos e sobre o seu ensino. 20 Jesus respondeu-lhe: “Falei ao mundo publicamente. Sempre ensinei numa sinagoga e no templo, onde todos os judeus se reúnem; e não falei nada em secreto.

Jesus ,o Mestre, ensinava publicamente. Isso não significa que o público em geral aceitasse ou concordasse com seus ensinamentos. Jesus apelava para o raciocínio das pessoas e salientava a liberdade que elas usufruíam de pensar por si mesmas:

Lucas 12:57 Por que não julgais também por vós mesmos o que é justo?

Portanto, seguindo os passos de nosso exemplo Jesus, não temos motivos para temer à Deus quando honesta e sinceramente e publicamente “garimpamos as Escrituras” em busca da Verdade ou das pérolas da Palavra de Deus.
De fato, Jesus alertou-nos da futilidade de “agirmos secretamente”:

Lucas 12:1-59
1 Entrementes, havendo-se ajuntado uma multidão de tantos milhares, que se pisavam uns aos outros, ele principiou a dizer, primeiro aos discípulos: “Vigiai-vos do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. 2 Mas não há nada cuidadosamente oculto que não venha a ser revelado, nem secreto que não venha a ser conhecido. 3 Portanto, as coisas que dizeis na escuridão, serão ouvidas na luz, e o que sussurrais em salas particulares, será pregado dos altos das casas.

O Cristianismo não é uma Sociedade ou Organização Secreta.
Assim como qualquer ouvinte que teve o privilégio de ouvir à Jesus Cristo no passado e aconselhado pelo próprio Jesus a julgar por si mesmo o que é justo, o mesmo padrão deve ser respeitado para qualquer um que procura observar as palavras de Jesus registradas nas Escrituras. Não podemos condenar alguém por isso. Afinal, cada um prestará conta de si mesmo à Deus.

Romanos 14:12 Assim, pois, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.”

Diante das inevitáveis idiossincrasias, vamos nos “suportando uns aos outros em amor” em vez de travar guerras na imposição de uma maneira de pensar que não seja “por si mesmo” - Ef 4:2



Salmos 26:1-12
De Davi.
Salmos 26:1-7
1 Julga-me, ó Jeová, porque eu mesmo tenho andado na minha própria integridade
E tenho confiado em Jeová, para não vacilar.
2 Examina-me, ó Jeová, e põe-me à prova;
Refina-me os rins e o coração.
3 Porque a tua benevolência está diante dos meus olhos
E tenho andado na tua verdade.
4 Não me sentei com homens de inveracidade;
E não entro com os que ocultam o que são.
5 Tenho odiado a congregação dos malfeitores
E não me sento com os iníquos.
6 Lavarei as mãos na própria inocência
E vou marchar ao redor do teu altar, ó Jeová,
7 Para fazer ouvir alto o agradecimento
E para declarar todas as tuas obras maravilhosas

Quando Jesus começou a Reinar?


As Escrituras fornecem evidência de que o Rei Jesus já exerce sua autoridade no Reino dos céus desde o primeiro século, por exemplo:
Pessoas das nações tem sido chamadas pelo nome de Jeová, indicando que a barraca de Davi ou reino de Davi foi reedificado ou reconstruído (Atos 15:14-18)
Ele constrói o Templo de Deus (1 Cor 3:16) usando a chave de Davi (Rev 3:7)
Os anjos nos céus dobram o joelho no nome de Cristo, isso é um indicativo que Jesus não só tem autoridade mas exerce autoridade (De fato, Autoridade é um atributo que se você a tem, então você já a exerce). Jesus não foi apenas “recomendado” rei ele foi designado ou autorizado a exercer seu reinado na Jerusalém de cima, Jesus é como Melquisedeque “Rei da Salém Celesetial” (Fil 2:9 ; Hebreus 6:20 – 7:1,2)

1 Pedro 3:22 “Ele está à direita de Deus, pois foi para o céu; e foram-lhe sujeitos anjos, e autoridades, e poderes.”

Anjos , Autoridades e Poderes estão subordinados ao Cristo. Isso indica exercício do cargo de Rei.

Col 2:10
10 E assim possuís uma plenitude por meio dele [Jesus],
sendo ele [Jesus] a cabeça de todo governo e autoridade.

Aquele que é o cabeça de governo, não governa? não reina?

Rev 1:4 João, às sete congregações que estão no [distrito da] Ásia:
Que tenhais benignidade imerecida e paz da parte de “Aquele que é, e que era, e que vem”, e da parte dos sete espíritos que estão diante do seu trono, 5 e da parte de Jesus Cristo, “a Testemunha Fiel”, “o primogênito dentre os mortos” e “o Governante dos reis da terra”.

O Governante é aquele que Governa ou Reina – exerce poder e autoridade.

As Escrituras Gregas são repletas de passagem que descrevem o exercício ou operação do Rei Jesus.

O texto de Rev 11:15 reflete o ganho de jurisdição do Rei Jesus:

15 E o sétimo anjo tocou a sua trombeta. E houve vozes altas no céu, dizendo: “O reino do mundo tornou-se o reino de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre.”

O reino do mundo (Quem realmente governa o mundo?) está sob a jurisdição do Diabo. Com o futuro estabelecimento do reino de Deus na terra ( Daniel 2:44, Mateus 6:10) o reino do mundo tornar-se jurisdição do reino de nosso Senhor e do seu Cristo. É um reino sendo conquistado por outro reino já existente. Assim como o reinado de Davi possui uma jurisdição, o mesmo se dá no Reino de Cristo, até que por fim ele exerce jurisdição ou presença no mundo que atualmente jaz no poder do iníquo.

                          "Senta-te à minha direita"

Salmo 110:1 De Davi. Uma melodia.
1 A pronunciação de Jeová a meu Senhor é:
Senta-te à minha direita,
Até que eu ponha os teus inimigos como escabelo para os teus pés.”
2 Jeová enviará de Sião o bastão da tua força, [dizendo:]
Subjuga no meio dos teus inimigos.”
3 Teu povo se oferecerá voluntariamente no dia da tua força militar.
Nos esplendores da santidade, da madre da alva,

A aplicação feita pelo "ensino de 1914" do Salmo 110 e os seus paralelos em 1 Cor 15:24-26, Hebreus 10:12 e Atos 2:34-36 é um tanto confuso e divergente com o resto das Escrituras, vejamos:

Note o comentário da Sentinela w06 9/1 p. 13 - p. 16 par. 12:
110:1,2 - O que o “Senhor [de Davi]”, Jesus Cristo, fazia enquanto estava sentando à direita de Deus? Logo após a sua ressurreição, Jesus subiu ao céu e esperou à direita de Deus até 1914 para começar a reinar. Durante esse tempo Jesus governava seus seguidores ungidos, liderando-os na obra de pregar e fazer discípulos e preparando-os para reinar com ele em seu Reino – Mateus 24:14 ; 28:18-20; Lucas 22:28-30

Analisemos detidamente a informação contida nesse parágrafo

e esperou à direita de Deus até 1914 para começar a reinar

Durante esse tempo [antes de 1914] Jesus governava seus seguidores ungidos”


Até 1914, Jesus esperou para começar a reinar.”
Mas antes de 1914, Jesus governava.”

O leitor concordaria em permutar a palavra "reinar" por "governar" e vice-versa? São sinônimos certo? (Compare Mateus 14:1 com Mateus 14:9)

Aplicando os sinônimos temos:

e esperou à direita de Deus até 1914 para começar a governar
Durante esse tempo [antes de 1914] Jesus governava seus seguidores ungidos”

ou

e esperou à direita de Deus até 1914 para começar a reinar
Durante esse tempo [antes de 1914] Jesus reinava seus seguidores ungidos”

ou ainda:
e esperou à direita de Deus até 1914 para começar a governar
Durante esse tempo [antes de 1914] Jesus reinava seus seguidores ungidos”

Afinal de contas, quando Jesus começou a Governar ou Reinar ou Imperar ou exercer Autoridade?

Conforme mostra o próprio parágrafo da Sentinela, Jesus já governava ou reinava ou imperava ANTES de 1914.
Ou seja, Jesus, ao sentar-se à mão direita de Deus (Salm 110:1 Almeida), não teve que esperar absolutamente nada para Reinar, Governar, Imperar. O que Jesus espera é o Pai colocar inimigos debaixo de seus pés à medida que ele, Jesus, Reina. Jesus espera o Pai submeter outras jurisdições ou domínios sob a Autoridade Executiva e Operacional de Jesus. 

Jesus Imperava ou Reinava ou Governava que Império ou Reino ou país ou nação? Qual a jurisdição dessa “autoridade”? Qual o território desse domínio?

Resposta:
João 8:23 De modo que prosseguiu a dizer-lhes: “Vós sois dos domínios de baixo; eu sou dos domínios de cima.

  • O reino dos céus. Ele se tornou Rei ou presidente do Reino dos céus ou domínios de cima, nos lugares celestiais. (Efes 1:20-22)

Sobre que pessoas ou seres Jesus passou a Reinar ou exercer Autoridade?

Filipenses 2:9:
9 Por esta mesma razão, também, Deus o enalteceu a uma posição superior [cargo máximo no Reino] e lhe deu bondosamente o nome que está acima de todo [outro] nome [cargo de autoridade máxima], 10 a fim de que, no nome de Jesus, se dobre todo joelho dos no céu, e dos na terra, e dos debaixo do chão [como deve-se fazer diante de um Rei], 11 e toda língua reconheça abertamente que Jesus Cristo é Senhor [cargo máximo], para a glória de Deus, o Pai.

Será que Jesus passou a exercer a autoridade???
no nome de Jesus, se dobre todo joelho dos no céu, e dos na terra, e dos debaixo do chão” - o Leitor tem alguma dúvida da autoridade que Cristo passou a exercer muito antes de 1914??
Existem miríades de miríades de anjos e milhares de humanos que são reinados ou governados por Cristo desde o primeiro século de nossa Era – A Era Cristã.


1 Pedro 3:22 “Ele está à direita de Deus, pois foi para o céu; e foram-lhe sujeitos anjos, e autoridades, e poderes.”

Col 2:10
10 E assim possuís uma plenitude por meio dele [Jesus],
sendo ele [Jesus] a cabeça de todo governo e autoridade.

Seria Jesus a cabeça que não manda, ou não reina ou não governa?

O que as Escrituras nos permite deduzir é que Jesus reina em seu reino celestial desde que ascendeu ao céu. Este reino celestial possui embaixadores aqui na terra (2 Cor 5:20) . Um embaixador necessariamente representa um reino ou governo. Esses cristãos embaixadores não fazem parte do mundo (pois o mundo está sob jurisdição do iníquo 1 Jo 5:19) .
Aqui os cristãos [ungidos] são embaixadores pois a cidadania deles é nos céus.

Filipenses 3:20 Quanto a nós, a nossa cidadania existe nos céus, donde também aguardamos ansiosamente um salvador, o Senhor Jesus Cristo,

E no reino dos céus , ou um país distante, Jesus , o rei , já opera ou já reina:
Filipense 3:21
, 21 o qual remodelará o nosso corpo humilhado para ser conforme ao seu corpo glorioso, segundo a operação do poder que ele tem, sim, de sujeitar todas as coisas a si mesmo.

Jesus por séculos reina no meio de seus inimigos ( em lugares celestiais e terrestres) trabalhando no aumento de pessoas para o seu reino ( Mat 28:18-20) . O Rei Executa o Testemunho das Boas Novas entre as Nações
Durante esse trabalho , o Rei Jesus age pacientemente (1 Pedro 3:20), mas chegará o dia da sua ira e de executar julgamento entre as nações:

Salmos 110:5
Há de despedaçar reis no dia da sua ira.
6 Executará julgamento entre as nações;
Causará uma plenitude de corpos mortos.


Leia também: 



terça-feira, 26 de junho de 2012

Jerusalém...é a cidade do grande Rei


Mateus 5: 35 "nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei."

"Jerusalém...é a cidade do grande Rei" 
Essa frase de Jesus, embora curta, possui profundas implicações em relação ao ensino de 1914.
Medite no seguinte: O que representa a "cidade de um grande Rei (Jeová)" ? Não representaria o Governo ou Reino deste Rei?
Em termos modernos, seria o mesmo que dizer: Mónaco é a cidade do rei.
O que representa a cidade de Mónaco? Representa o governo ou reino do rei de Mónaco - Albert II (http://en.wikipedia.org/wiki/Monaco)

Portanto quando Jesus diz que Jerusalém é a cidade do grande Rei Jeová, é porque Jerusalém representava o Reino de Jeová, representava o Reino de Deus na terra. Não é à toa que ela era chamada de "cidade santa" ou "lugar santo". (Mateus 4:5, Lucas 4:9, Mateus 27:53)
Portanto não é correto afirmar que o Reino de Deus deixou de ser representado na terra após 607 AEC como sugere o ensino de 1914. Muito pelo contrário, não devia-se nem jurar por Jerusalém, pois conforme Jesus ensinou-nos, naquela época, ela era a cidade do Grande Rei - a representação terrestre do Reino de Jeová



Leia também
Dissertação sobre parousia e 1914

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Vai para o Abismo mas Ascende do Abismo

Todos nós Testemunhas de Jeová sabemos que haverá um colapso Mundial, nossas próprias literaturas dizem isso, veja abaixo:
Da Sentinela 15 Abril 2012 pág 22 parágrafo 1, extraímos:

"a sociedade terrestre mergulhará no caos"
"durezas e privações serão a ordem do dia"


Sim, é ponto pacífico que o sistema de coisas irá para o caos ou para o "abismo".
A questão é que, segundo a Escrituras , o sistema ou Fera reascenderá do abismo. O sistema voltará a funcionar - com suas garras de Fera pra fora. A crença em 1914 coloca os servos de Deus no perigo de achar que o iminente caos global seja o Armagedom em si , seguido do Novo Mundo, quando na verdade , o iminente caos global será o início do dia do Senhor que será acompanhado do domínio ou autoridade do Oitavo rei ou Nova Ordem Mundial, da Fera que sai do abismo ou revive do caos (Rev 17:8-14.)


Não somos alertados pelas Escrituras a não adorar a marca da fera que será de forma compulsória imposta sobre todos? (Rev 13:16-17) O leitor acha-se atualmente realmente coagido a adorar algo além de Jeová? [Nota: A "Organização" é a única entidade que coloca o povo de Jeová atualmente sob compulsão para encará-la como "um deus", uma coisa altiva entre os homens - A Organização ou Fera faz do povo de Jeová idólatras - um grande perigo aos cristãos]


Lucas 16:15 Conseqüentemente, ele lhes disse: “Vós sois os que vos declarais justos perante os homens, mas Deus conhece os vossos corações; porque aquilo que é altivo entre os homens é uma coisa repugnante [uma imagem de um deus, uma besta] à vista de Deus.

No futuro [na realidade a "verberação do Rei do Norte ou Babilônia" já está em andamento - vai aumentar a intensidade "no tempo do fim" ] seremos [e já somos de fato] obrigados a encarar como divino algo que é uma grande fraude satânica. 
Sim o sistema irá para o caos ou "abatido até a morte" ,mas será curado ou sairá do abismo (Rev 13:3-4, Rev 17:8). Os da terra seguirão a Fera com admiração e adorarão o dragão. Estaremos atentos de modo a não cometermos esse pecado?
Lembre-se que durante o genuíno Armagedom, a fera ou sistema político serão apanhados "ainda vivos" ou de outra forma, em funcionamento e não no iminente caos que ameaça o atual sistema que está prestes a descer para o abismo ou ruir por si mesmo.

Conforme estudamos:

"a sociedade terrestre mergulhará no caos"
"durezas e privações serão a ordem do dia"

O que mergulha a sociedade no caos senão Guerras Mundiais? As durezas e privações se tornam a ordem do dia. 
Sim os verdadeiros sinais da presença de Cristo como guerras, terremotos, pestilência , escassez de víveres há de so cumprir de modo nunca antes visto pela humanidade, como nunca antes ocorreu [ espiritualmente e fisicamente ].


Embora a liderança das testemunhas de Jeová afirmem que é impossível uma Terceira Guerra Mundial, a realidade no entanto é bem diferente:
War on Iran Will Trigger World War III
Iran could launch pre-emptive Israel strike-commander

A profecia diz que Babilônia (Rei do Norte) irá devastar o Rei do Sul (EUA)

Quando isso ocorrer, onde ficará a credibilidade da Torre com suas doutrinas em torno de 1914???


sexta-feira, 22 de junho de 2012

Uma Terrível Estátua MultiNacionalmente poderosa


Esse artigo chama atenção para o significado da  Estátua descrita no capítulo 2 de Daniel. 

Quando a estátua estaria de pé?

Daniel 2: 28 No entanto, há nos céus um Deus que é Revelador de segredos, e ele fez saber ao Rei Nabucodonosor o que há de acontecer na parte final dos dias. Teu sonho e as visões da tua cabeça, na tua cama — são o seguinte:

A Estátua se põe de pé "na parte final dos dias" - durante o tempo do fim!!

Note que quando a estátua é destruída, TODOS os elementos que constituem a Estátua são esmiuçados.

Daniel 2:45 pois viste que se cortou do monte uma pedra, sem mãos, e [que] ela esmiuçou o ferro, o cobre, a argila modelada, a prata e o ouro. O próprio grandioso Deus tem dado a conhecer ao rei o que há de acontecer depois disso. E o sonho é certo e a sua interpretação é fidedigna.”.

Assim, "uma cabeça de ouro" vai estar "de pé" na parte final dos dias junto com todos os outros elementos formadores da estátua também. Um Governo Global.

Por que era tão temível a estátua descrita por Nabucodonosor? bom ela representa um novo paradigma governamental: Uma estátua composta de vários reis - multinacional, que vai estar de pé "na parte final dos dias".

Satanás , a fim de travar guerra contra os remanescentes da semente terá que mudar as coisas como elas estão: fim de Direitos Civis, Fim de Recursos na Suprema Corte Americana, Fim da República - predicados que em muito beneficiaram a expansão das boas novas do Reino.

A repugnante Estátua ergue-se a partir de seus pés composto de barro e ferro, ou seja, a partir da época da história em que houvesse duas formas antagônicas de governança: Ferro Imperial e Barro Republicano.

É a partir dessa base ou tripé que a Estátua se Erguerá no futuro próximo na Forma de Uma Nova Ordem Mundial Satânica - nos Moldes de Babel - O Cérebro ou Cabeça de ouro, dessa estátua será a filosofia de Nimrode composta em todo o seu corpo pela União do poder governamental de várias "reis" ou nações unidas.

Satanás por meio de sua propaganda promoverá a união ou ajuntamento das nações em um só objetivo - Rev 16:13-14

"13 E eu vi três impuras expressões inspiradas, semelhantes a rãs, sair da boca do dragão, e da boca da fera, e da boca do falso profeta. 14 São, de fato, expressões inspiradas por demônios e realizam sinais, e vão aos reis de toda a terra habitada, a fim de ajuntá-los para a guerra do grande dia de Deus, o Todo-poderoso."


Note que antes de vir o Armagedom, as nações estarão como que aglutinadas ou ajuntadas em uma só estátua, um só pensamento.  

Esse mesmo evento é descrito no capítulo 17 de Revelação onde o oitavo Rei, ou Fera que ascende do Abismo (futuro caos global) recebe todo poder e autoridade.
Portanto meus amigos, não se deixem enganar, o futuro governo mundial demoníaco que ascenderá do iminente Abismo (caos do sistema) não será o Governo de Jeová. 
Essa Fera ou estátua multinacional será a "soluçao" Satânica para o problema. Seu objetivo será escravizar a humanidade e eliminar a fé genuína em Jeová por meio de Cristo. Tal estátua medonha terá um governo curto de “uma hora” simbólica ou 42 meses (Rev 17:12, Rev 13:5)
O Governo Global Satânico mostrará as suas garras para extinguir a Verdade.

Rev 13:5-8 descreve o reinado desse “falsa solução” da governaça global:

3 E eu vi uma das suas cabeças como que abatida até a morte [futuro caos sistêmico], mas o golpe mortal que sofreu foi curado, e toda a terra seguia a fera com admiração. 4 E adoravam o dragão porque dera a autoridade à fera, e adoravam a fera com as palavras: “Quem é semelhante à fera e quem pode batalhar contra ela?” 5 E foi-lhe dada uma boca que falava grandes coisas e blasfêmias, e foi-lhe dada autoridade para agir por quarenta e dois meses. 6 E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e da sua residência, mesmo dos que residem no céu. 7 E foi-lhe concedido travar guerra com os santos e vencê-los, e foi-lhe dada autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua, e nação. 8 E todos os que moram na terra a adorarão; o nome de nem sequer um deles está inscrito no rolo da vida do Cordeiro que foi morto, desde a fundação do mundo.

Após martirizar os fiéis, a Fera que ascende do abismo, ou Oitavo Rei, ou Estátua Multinacional , estes batalharão contra o Cordeiro, mas, porque ele é Senhor dos senhores e Rei dos reis, o Cordeiro os vencerá. Também [o farão] com ele os chamados, e escolhidos, e fiéis. - Rev 17:14


quinta-feira, 21 de junho de 2012

Jeová – Deus cumpridor de pactos


                      
Vemos no relato do Dilúvio um maravilhoso paralelo entre o fim daquele antigo sistema de coisas e o atual sistema de coisas.

A terminação do antigo sistema de coisas dos dias de Noé , envolvia um cumprimento de pacto, entre Jeová e Noé.

Lemos em Gênesis 6:17 “E quanto a mim, eis que estou trazendo o dilúvio de águas sobre a terra, para arruinar debaixo dos céus toda a carne em que a força da vida está ativa. Tudo o que há na terra expirará. 18 E deveras estabeleço contigo meu pacto; e terás de entrar na arca, tu e teus filhos, e tua esposa, e as esposas de teus filhos contigo. 19 E de toda criatura vivente, de toda sorte de carne, levarás duas de cada uma para dentro da arca, a fim de as preservares vivas contigo.


estabeleço contigo meu pacto; e terás de entrar na arca”

O pacto entre Jeová e Noé envolvia a construção de uma arca, que seria o meio de sobrevivência para a humanidade.

Gênesis 6:14 Faze para ti uma arca da madeira duma árvore resinosa. Farás compartimentos na arca e terás de cobri-la com alcatrão por dentro e por fora.

Assim o pactuado Noé deveria construir uma arca a fim de prover a sobrevivência, por sua vez Jeová cumpria a sua parte no pacto por permitir que Noé entrasse na arca.

Gêneses 6:22 E Noé passou a fazer segundo tudo o que Deus lhe mandara.

Noé trabalhou cerca de 40 a 50 anos na construção dessa arca.

Jeová por sua vez aguardava pacientemente enquanto a arca era construída:

1 Pedro 3: 20 os quais outrora tinham sido desobedientes, quando a paciência de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se construía a arca, na qual poucas pessoas, isto é, oito almas, foram levadas a salvo através da água


Até que finalmente Noé concluiu a construção da arca. Noé “fez exatamente assim”. Gen 6:22

Muito bem, Noé cumpriu a parte dele, cumpriria Jeová a sua? Evidente que sim!

Lemos em Gênesis 7:1 Após isso, Jeová disse a Noé: “Entra na arca, tu e todos os da tua casa, porque tu és quem eu vi ser justo diante de mim no meio desta geração. 2 De cada animal limpo tens de tomar a ti de sete em sete, o macho e sua fêmea; e de todo animal que não é limpo apenas dois, o macho e sua fêmea; 3 também as criaturas voadoras dos céus de sete em sete, macho e fêmea, para se preservar viva [alguma] descendência na superfície de toda a terra. 4 Pois, em apenas mais sete dias farei que esteja chovendo sobre a terra por quarenta dias e quarenta noites; e vou obliterar da superfície do solo toda coisa existente que tenho feito.” 5 E Noé passou a fazer segundo tudo o que Jeová lhe mandara.

Assim Noé entrou na arca , o que marcou o início do período de terminação daquele sistema (7 dias), e Noé ainda teria um trabalho conclusivo a fazer durante a terminação daquele sistema: receber e alojar os animais dentro da arca.

Gen 7:10 “E aconteceu que sete dias depois vieram as águas do dilúvio sobre a terra.”

A terminação do atual sistema de coisas seguirá o mesmo modelo. (Mat 24:36-39)

Jesus, o primeiro a ser ungido por Jeová como rei-sacerdote do reino dos céus também esteve pactuado com Jeová nos dias que esteve aqui na terra. Jeová fizera com Jesus um pacto para um Reino. E Jesus por morrer íntegro a Deus mesmo numa estaca de tortura provou que Jeová é o seu Soberano, e não o Diabo. Jesus cumpriu sua parte no pacto, cumpriria Jeová a sua? Claro que sim.

Jesus após ser ressuscitado e ascender aos céus recebeu toda a glória e poder e honra no Reino dos Céus.
Jesus passou a ocupar a posição de maior destaque possível no Reino dos céus: o Lado Direito do Pai Jeová.

1 Pedro 3: 22 Ele está à direita de Deus, pois foi para o céu; e foram-lhe sujeitos anjos, e autoridades, e poderes.

Filipenses 2:9 Por esta mesma razão, também, Deus o enalteceu a uma posição superior e lhe deu bondosamente o nome que está acima de todo [outro] nome, 10 a fim de que, no nome de Jesus, se dobre todo joelho dos no céu, e dos na terra, e dos debaixo do chão, 11 e toda língua reconheça abertamente que Jesus Cristo é Senhor, para a glória de Deus, o Pai.

Sim, Jeová cumpriu o pacto com Jesus, tornou-o rei do reino dos céus (isso ainda no primeiro século EC)

Jesus, sob a vontade de Jeová, também estabeleceu um pacto com os seus seguidores ou “Israel” ou cristãos.

Lucas 22: 29 e eu faço convosco um pacto, assim como meu Pai fez comigo um pacto, para um reino, 30 a fim de que comais e bebais à minha mesa, no meu reino, e vos senteis em tronos para julgar as doze tribos de Israel.

Ou seja, Jesus que logo seria enaltecido como Rei do Reino dos céus, estabelecera um pacto com seus seguidores de modo que esses também estariam sentados em tronos para julgar todas as tribos de Israel – todos os cidadãos da nação cristã ou todos os cristãos.

Assim como Noé, os cristãos que serão reis também trabalham pactuados e quando o Templo de Deus ( 1 Cor 3:16) estiver concluído – cujo mestre de obras é o rei Davi Maior – Jesus Cristo, nesse dia, será o dia em que Jeová dirá aos cristãos ungidos: “Entrem na arca” , “Ressuscitem para o Reino” e para os que ainda estiverem vivos na terra: “Entre na Presença do Senhor”.

Assim como Noé, os ungidos aqui na terra também terão um trabalho conclusivo a fazer relacionado com o cumprimento de várias profecias, nesse tempo será revelado ao mundo os filhos de Deus:

Rom 8:18 Conseqüentemente, eu considero os sofrimentos da época atual como não importando em nada, em comparação com a glória que há de ser revelada em nós. 19 Pois a expectativa ansiosa da criação está esperando a revelação dos filhos de Deus.


Antes de Noé terminar a arca, a paciência de Jeová esperava, assim como Ele exerce paciência, exerçamos também, até a presença do Senhor.
Tiago 5:7 Portanto, exercei paciência, irmãos, até a presença [parousia] do Senhor. Eis que o lavrador fica esperando o precioso fruto da terra, exercendo paciência com ele, até que venha a chuva temporã e a chuva serôdia. 8 Vós também exercei paciência; firmai os vossos corações, porque se tem aproximado a presença [parousia] do Senhor.

Leia Também

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Nosso sítio - Nossa casa

Semana passada um irmão de fé dirigiu-se até a mim dizendo que eu deveria ser desassociado ou excomungado pelo fato de ter esse sítio.

Gostaria de tecer alguns comentários sobre isso pois eu realmente não gostaria de ser desassociado.

Alguns meses atrás, quando ainda possuía o privilégio de realizar discursos na congregação, eu fiz uma parte sobre “redes sociais”.

Em determinado ponto durante minha explanação, eu disse as seguintes palavras:

O teu espaço na Internet, seja por meio de uma rede social, blog, etc – é a sua casa, é sua “home”-page , é o seu sítio – o seu site”
Quem manda em sua casa é você
Você é quem permite a entrada em sua casa ou adiciona como amigo uma outra pessoa”
Ir até a página ou “casa” de alguém é decisão sua..é o mesmo que ir até a casa de outra pessoa”

Ou seja, nosso site na Internet está debaixo de nossa jurisdição – é uma extensão de nossa “home” ou “sítio” ou “casa” ou “meu espaço” ou myspace. É o nosso canto ou quadrado.

Assim como nossa casa no mundo real possui endereço, nossa casa “digital” também possui endereço.
Assim como uma pessoa que deseja falar conosco vai até a nossa casa “física”, a pessoa que deseja conversar conosco em modo digital também precisa ir até a nossa casa ou homepage ou sítio ou site ou página.
Nós não levamos a nossa casa até a pessoa que deseja se comunicar conosco, é a pessoa que vem até a nossa casa. É decisão dela, não nossa. É ela que utiliza o carro ou navegador para ir até a nossa casa.

Inclusive nós podemos ter várias casas: na cidade, no campo, na praia, no twitter, no facebook, no blogspot ,etc.
Todas elas compartilham de pelo menos uma característica: possuem um endereço único.

Assim, para todos os efeitos, ir até a minha “casa digital” é equivalente a ir até a minha casa de alvenaria. Exige que o visitante dirija seu carro ou seu navegador até a minha casa. Exige a ação não do dono da casa, mas do visitante.

Deveria alguém ser desassociado por ter uma casa, seja ela da forma que for? Creio que ter uma casa ou site ou sítio ou fazenda ou twitter ou facebook - não importa o lugar (cidade, campo,praia, internet) ou forma em que essa casa é feita (alvenaria, madeira,código digital) – não seja base para desassociação.

Em nossa casa, tanto “física” como “digital“ nós expomos nossos conceitos e ideias.
Se alguma pessoa visitar a nossa casa, tanto física como digital, ela saberá daquilo que nós pensamos.
Note porém que ninguém é coagido ou forçado a nos visitar, e isso em nenhuma de nossas casas. Se alguma pessoa vem até nossa casa, isso dependeu da ação dela, não da nossa.
Em nossa casa, as pessoas que entram nela tem todas as informações que são relevantes em relação à nossa pessoa. E se por algum engano, talvez um endereço errado, ela acabar tocando a campainha de casa errada, basta ir embora. A porta de saída está a um click ou apenas alguns passos.

Atenciosamente,

Paulo 


terça-feira, 19 de junho de 2012

About the author


My name is Paulo Vicentini, I am a Jehovah's Witness baptized in 1996.
Recently (16/03/2012) I exposed to the brothers in faith the reasons why I believe that the teaching about the year 1914 as the beginning of the presence of Jesus Christ is not in harmony with the Scriptures.

The reasons and concepts can be found in articles of this site.

Such exhibition of my personal ideas, which I consider biblically grounded, resulted after trial of a judicial committee, in my removal from my position as an elder, as well as the loss of all privileges in the congregation.


Update: After another judicial committee on July 18 2012, I was excommunicated from the congregation (disfellowshipped)


My dissertation about a future parousia or presence can be found:

Sobre o autor do site


Meu nome é Paulo Vicentini.

Em março de 2012, "os céus se abriram para os meus olhos".

De modo que  (16/03/2012) expus publicamente para vários pessoas as razões pelas quais considero que o ensino a respeito do ano de 1914 como sendo o início da presença de Jesus Cristo está em desarmonia com as Escrituras.
As razões expostas encontram-se nos artigos desse site.

Tal exposição de minhas ideias pessoais, as quais considero fundamentadas biblicamente, resultou, após julgamento de uma comissão judicativa, na minha remoção do cargo de ancião, bem como na perda de todos os privilégios na congregação.

A dissertação que apresento nesse site é em relação a uma futura presença de Cristo.
Tal dissertação refere-se a uma consideração analítica dos meus argumentos fundamentados nas Escrituras.
Caso o Leitor tenha uma refutação lógica e fundamentada nas Escrituras dos argumentos usados em minha dissertação, eu peço por favor que exponha seus contra-argumentos.

Atualização: Dia 18 de Julho de 2012 passei por outra comissão judicativa (tribunal local) e fui excomungado da congregação.


Obrigado


Dissertação Presença de Cristo

Contra-argumentos são bem vindos


segunda-feira, 18 de junho de 2012

Studying the Bible as an Open Source Project

        Studying the Bible as an Open Source Project

Proverbs 11:14 When there is no skillful direction, the people fall; but there is salvation in the multitude of counselors.

A Knowledge database is a repository of dynamic information about a particular subject. It can often be seen as a mapping of Problems and Solutions, Questions and Answers.

We learn by increments and decrements and that is one of the reasons we should have a database reporting all our developments in relation to a specific knowledge or idea.

Any institution that seeks accuracy of its knowledge and projects strives to maintain a knowledge base or history of its developments.
We need to register not only the successes but also the errors or “bugs” in order to increase experience and wisdom.

It is a sort of "logbook". All major projects in all kinds of knowledge are kept in a Knowledge databases. For instance, in the area of software:

One special feature of such projects is the fact that they are open source. This means that anyone can contribute to it. It is Open for anyone.
The author of this site adopts the same methodology in the analytical study of the Scriptures: it is public and open to anyone.

The aim of this paper is to examine the Scriptures under the scrutiny of logic, considering the Truth found in the Bible as an exact science

So keep in mind these two premises while contributing:

  • There can be NO contradictions (1 Timothy 6:20)
  • There must be NO interpreted twofold (Ezekiel 12:24)

We aim to model the Scriptures as a relation or function uniquely or accurate.

As the Scriptures is a book that should be kept open for all people,I understand that any study or analysis in the Scriptures should have this same feature: being open to all, public – open source

Transparency is one of the characteristics of the God's dealing with us.
Ephesians 5:1
Therefore, become imitators of God, as beloved children

When studying the Bible there is no point in keeping things hidden

Luke 12: 2 But there is nothing carefully concealed that will not be revealed, and secret that will not become known. 3 Wherefore what things YOU say in the darkness will be heard in the light, and what YOU whisper in private rooms will be preached from the housetops.