domingo, 29 de abril de 2012

o Templo de Deus e o Armagedom

"Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá" (1 Cor. 3:17).


Essas palavras acima estão relacionadas com o climax do Dia do Senhor: a guerra do Armagedom.


Segundo as Escrituras, conforme estamos vendo extensivamente , os cristãos ungidos serão pisados pelas nações durante a terminação do sistema. Isso também é denotado como a profanação do Templo ( ungidos) pela coisa repugnante que causa desolação estar de pé "num lugar aonde não devia". Veja os textos abaixo:


Daniel 11: 31 E erguer-se-ão braços procedentes dele; e eles hão de profanar o santuário, o baluarte, e remover o [sacrifício] contínuo. 


Daniel 7: 25 E falará até mesmo palavras contra o Altíssimo e hostilizará continuamente os próprios santos do Supremo. E tentará mudar tempos e lei, e serão entregues à sua mão por um tempo, e tempos e metade de um tempo. 


Mateus 24:1515 “Portanto, quando avistardes a coisa repugnante que causa desolação, conforme falado por intermédio de Daniel, o profeta, estar em pé num lugar santo, (que o leitor use de discernimento,)


Marcos 13:14 “No entanto, quando avistardes a coisa repugnante que causa desolação estar de pé num lugar onde não devia (que o leitor use de discernimento)


Lucas 21:24 e cairão pelo fio da espada e serão levados cativos para todas as nações; e Jerusalém será pisada pelas nações, até se cumprirem os tempos designados das nações.


Rev 11:2 Mas, quanto ao pátio que está de fora do [santuário do] templo, lança-o completamente fora e não o meças, porque foi dado às nações, e elas pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses. 


Os textos acima culminam no pisoteio da "cidade onde Jeová colocou o seu nome " nos tempos modernos 



Isso será o princípio de Julgamento de Jeová - durante o Seu Dia.Conforme a regra da Bíblia, esse julgamento começaria com o povo de Jeová: 

Jeremias 25:29 Pois, eis que é sobre a cidade sobre a qual se invoca o meu nome que eu principio a trazer calamidade


1 Pedro 4:17
"Pois é o tempo designado para o julgamento principiar com a casa de Deus. Ora, se primeiro começa conosco, qual será o fim daqueles que não são obedientes às boas novas de Deus?"

Conforme no passado, Jeová usará o Caldeu (Fera, ou chifre com olhos ou Rei do Norte de Daniel) para realizar isso. 
Isso resultará no Refino da casa de Deus - separando o Joio do Trigo.
 
A futura "cidade de Babel" (Fera) irá "pisar o Templo" desolando a organização de Deus e, após os santos serem refinados, receberem o Reino - a Fera por fim matará os filhos de Deus - destruirá o Templo de Deus.


Como um CONTRA-ATAQUE Jeová fará em harmonia com o texto de 1 Coríntios 3 :16 - será a Guerra do Armagedom:



16 Não sabeis que vós sois templo de Deus e que o espírito de Deus mora em vós? 17 Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; pois o templo de Deus é santo, [templo] esse que sois vós.









quinta-feira, 19 de abril de 2012

Jeremias e a Lógica

Para saber toda a Verdade, nosso Pai Jeová quer que usemos a maior criação física de todo o Universo: Nosso Cérebro

As Escrituras Sagradas produzidas pela Maior Mente do Universo - Jeová, deve passar pelo escrutínio da Lógica.

Como uma bela sinfonia, A Bíblia não permite dissonâncias ou tensões quanto á Harmonia do Entendimento da Verdade.

Ter essa premissa em mente nos ajuda a encontrar a Verdade sobre a Palavra de Deus - O Mestre da Lógica e Coerência.

Por exemplo, apliquemos as profecias de Jeremias sob o escrutínio da Lógica:

Lemos em Jeremias 25:29 Pois, eis que é sobre a cidade sobre a qual se invoca o meu nome que eu principio a trazer calamidade

Não é certo interpretar Jerusalém conforme citado em Isaias, Jeremias , etc da maneira que tem sido feita, a saber:

Quando
Jerusalém sofre humilhação e desolação, interpretamos que Jerusalém se refere a Cristandade.
Quando
Jerusalém é refinada e exaltada, interpretamos que Jerusalém se refere de alguma forma ao povo de Deus atual.

Fazer isso é interpretação dúplice (Ezequiel 12:24), é como dizer 7=7 e depois, 7=6

É como dizer: Seja x = 7 , e y = 6 e depois, afirmamos x = y !!!! Nota Zero

Conforme diz os profetas (Isaías, Jeremias e todos os outros), Jerusalém sofreria uma grande humilhação e desolação, refinamento, e depois seria muito exaltada para todo o sempre.

Será que a Cristandade vai ser refinada e exaltada para todo o sempre?
Seria a cristandade a cidade sobre a qual se invoca o Nome de Jeová?

Jeremias 25:29 Pois, eis que é sobre a cidade sobre a qual se invoca o meu nome que eu principio a trazer calamidade

Não. A cristandade nos livros de Isaías e Jeremias , etc é sim referenciada por Moabe, Edom, Filístia, etc.

É por isso que Jeová diz,  ' se Eu ei de julgar o meu próprio povo - acaso ficareis vós impunes?'

A cristandade não será refinada e exaltada - ela será destruída.
1 Pedro 4:17
 Pois é o tempo designado para o julgamento principiar com a casa de Deus. Ora, se primeiro começa conosco, qual será o fim daqueles que não são obedientes às boas novas de Deus?

Tudo isso será realizado durante a terminação do sistema. Rev 11:1-4 (povo de Deus pisado pelas nações em meio a muitas coisas..mateus 24.)

Note que Jeremias é profético para a terminação desse sistema:
Jeremias 23:20 - 'Na parte final dos dias dareis a isso vossa consideração com compreensão.' (Jeremias se refere á terminação do sistema de coisas, como em Daniel e Ezequiel => ''Na parte final dos dias', como em Mateus 'terminação' do grego  synteleia)

Portanto, Salve a Jeová - o Rei da Lógica! 

O Tempo Designado das Nações

Essa é uma consideração sobre os tempos dos gentios ou tempo designado das nações.


Considere Lucas 21:20 
“Outrossim, quando virdes Jerusalém cercada por exércitos acampados, então sabei que se tem aproximado a desolação dela. 21 Então, comecem a fugir para os montes os que estiverem na Judéia, e retirem-se os que estiverem no meio dela, e não entrem nela os que estiverem nos campos; 22 porque estes são dias para se executar a justiça, para que se cumpram todas as coisas escritas. 23 Ai das mulheres grávidas e das que amamentarem naqueles dias! Porque haverá grande necessidade na terra e furor sobre este povo; 24 e cairão pelo fio da espada e serão levados cativos para todas as nações; Jerusalém será pisada pelas nações, até se cumprirem os tempos designados das nações.

Atente para a sequencia de eventos:
Jerusalém cercada...desolação dela......será pisada pelas nações , até se cumprirem os tempos designados das nações

A expressão no verso 20 'Jerusalém cercada por exércitos acampados' é atualmente interpretada pelas Testemunhas de Jeová como se aplicando à cristandade na ocasião em que a "coisa repugnante que causa desolação" atacar a cristandade.
Por outro lado, 4 versos depois (mesmo contexto) a mesma Jerusalém é interpretada como representando o Reino de Deus na Terra (a antiga Jerusalém – reinada por reis humanos até 607 AEC).
Isso é um caso de interpretação dúplice – Ezequiel 12:24 (considerado como erro em qualquer argumentação dissertativa)
Pois essa interpretação dúplice quebra a continuidade contextual e a relação Causa/Efeito do contexto nesses versos....

Note os Eventos:
1) Causa: Jerusalém seria cercada ...desolada dando início ou tendo como consequência:
2) Efeito: Jerusalém sendo Pisada pelas nações ...até se cumprirem os tempos designados das nações
O Efeito (Jerusalém pisada) não pode vir antes (na linha do Tempo da História) da Causa (Jerusalém cercada) 
(Lembre-se que o "cercamento de Jerusalém por Roma" – em 66 EC pelo general Romano Cesto foi o SINAL da terminação (synteleia) do sistema de coisas judaico, e o fim (te-los) ocorreu em 70 EC nas mãos de Tito)

O Efeito (até então entendido como se cumprindo em 607 AEC) não poderia ocorrer ANTES da Causa: Jerusalém cercada pelos Romanos em 70 EC.

Pode o EFEITO (tido como iniciado em 607 AEC) ocorrer antes DA CAUSA em 66 EC - Sinal de Erro. 

Ponderemos sobre essa questão: O que representava Jerusalém até 70 EC?
Jerusalém representava, mesmo para os discípulos cristãos do passado (veja os textos a seguir), a adoração verdadeira de Deus na Terra - a adoração realizada pela organização de Jeová naquela época - a cidade do Grande Rei, onde se invocava o nome de Jeová.

O fato era que o Templo em Jerusalém era a representação da adoração verdadeira na Terra – Sendo esse fato reconhecido por Jesus (limpou o Templo duas vezes)

Mateus 23:21 "e quem jurar pelo templo, está jurando por ele e por aquele que habita nele; " 
Mateus 5: 34 "...Não jureis absolutamente... nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.
Lucas 19:46 dizendo-lhes: “Está escrito: ‘E a minha casa será casa de oração’, mas vós fizestes dela covil de salteadores.” 
Lucas 2: 49 Mas ele lhes disse: “Por que tivestes de ir à minha procura? Não sabíeis que eu tenho de estar na [casa] de meu Pai? 
Lucas 19: 41" E quando chegou perto, contemplou a cidade [Jerusalém] e chorou sobre ela" 
Lucas 2:37 "...e ela era viúva, já com oitenta e quatro anos de idade), que nunca estava ausente do templo, prestando noite e dia serviço sagrado... "
Lucas 19:47 "Outrossim, [Jesus] ia diariamente ensinar no templo. "
Lucas 24:502"....e voltaram para Jerusalém com grande alegria. 53 E estavam continuamente no templo, bendizendo a Deus."

Mesmo para os cristãos: 

Atos 2:46 E dia após dia assistiam constantemente no templo, de comum acordo, tomando as suas refeições em lares particulares e participando do alimento com grande júbilo e sinceridade de coração
 Atos 3:1 Ora, Pedro e João estavam subindo ao templo para a hora da oração, a nona hora,
Atos 21 26 Paulo tomou então consigo os homens, no dia seguinte, e purificou-se cerimonialmente junto com eles, e entrou no templo, notificando os dias a serem cumpridos para a purificação cerimonial, até se apresentar a oferta para cada um deles. 27 Ora, quando os sete dias estavam para se concluir, os judeus da Ásia, observando-o [PAULO] no templo, começaram a lançar toda a multidão em confusão, e deitaram mãos nele
Atos 22:17 “Mas, tendo eu voltado a Jerusalém e estando a orar no templo, caí em transe 18 e o vi dizer-me: ‘Apressa-te e sai ligeiro de Jerusalém, porque não concordarão com o teu testemunho a respeito de mim.’
Atos 24:11 "visto que estás em condições de descobrir que, quanto a mim, não faz mais de doze dias desde que subi para adorar em Jerusalém; 12 e eles não me acharam no templo argumentando com alguém, nem causando que se formasse uma turba, tampouco nas sinagogas ou em toda a cidade. " 
Atos 25 : 8 "Mas Paulo disse em defesa: “Nem contra a Lei dos judeus, nem contra o templo, nem contra César cometi qualquer pecado.”

Ou seja, o Templo em Jerusalém não era uma coisa "impura" para os cristãos do primeiro século tal como o é a cristandade (a cristandade se compara mais a Moabe / Filístia) para os cristãos atuais, mas sim Jerusalém ainda era um lugar santo, até então usado pela adoração vedadeira – mesmo para o cristianismo: era o "Templo de Deus" - onde se invocava o nome de Deus Jeová - a representação da adoração verdadeira na Terra e seu Reino (Mateus 5:35)– isso até 70 EC

Quando um "lugar santo" - onde o Nome de Jeová é invocado, deixa de exercer esse papel por apostasia, esse lugar sofre desolação

Por isso Jesus disse: Marcos 13:14 “No entanto, quando avistardes a coisa repugnante que causa desolação estar de pé num lugar onde não devia (que o leitor use de discernimento), então, comecem a fugir para os montes os que estiverem na Judéia.
"estar de pé num lugar onde não devia " - Se os poderes políticos atuais estivessem agindo na cristandade para desolá-la...não poderíamos chamar isso de "estar de pé num lugar onde não devia ".
O significado correto está em harmonia com Jeremias 25:29
 "Pois, eis que é sobre a cidade sobre a qual se invoca o meu nome que eu principio a trazer calamidade" Ou
1 Pedro 4:17 17 Pois é o tempo designado para o julgamento principiar com a casa de Deus.
Assim embora a expectativa atual seja de Babilônia a Grande (Religião Falsa) ser destruída, o que está profetizado desde Isaías, Jeremias , Ezequiel e os outros profetas é que , como no passado, Jeová julgará Primeiro o seu povo - permitindo que estes sejam levados ao exílio - provavelmente destruindo a organização de Jeová tal como conhecemos. Isso será uma expressão de Refinamento do povo de Deus – quando se separará o Joio do Trigo dentre o seu Reino os peixes excelentes dos imprestáveis da rede de arrasto que ficou cheia (Mateus 13).

De fato em harmonia com Lucas 21:20 a cidade santa não discernira o tempo de ser inspecionada:
Lucas 19: 41 E quando chegou perto, contemplou a cidade e chorou sobre ela, 42 dizendo: “Se tu, sim tu, tivesses discernido neste dia as coisas que têm que ver com a paz — mas agora foram escondidas de teus olhos. 43 Porque virão sobre ti os dias em que os teus inimigos construirão em volta de ti uma fortificação de estacas pontiagudas e te cercarão, e te afligirão de todos os lados, 44 e despedaçarão contra o chão a ti e a teus filhos dentro de ti, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não discerniste o tempo de seres inspecionada.”

A organização terrestre de Jeová sendo levada ao cativeiro armará o cenário para que Jeová vindique a SUA Soberania - o SEU NOME. Ao mesmo tempo retirará o vitupério sobre o seu povo: Ao ver as Testemunhas Jeová aparentemente destruídas, exiladas - A religião Falsa ficará em êxtase: (ainda mais sabendo que o povo de Jeová prega "O Fim da Religião Falsa está próximo")
Babilônia a Grande dirá: Revelação 18:6 ‘Estou sentada como rainha, e não sou viúva, e nunca verei pranto.’
Aí estará o cenário para Jeová vindicar o Seu Nome, Destruindo Babilônia a Grande:
8 É por isso que as pragas dela virão num só dia, morte, e pranto, e fome, e ela será completamente queimada em fogo, porque Jeová Deus, quem a julga, é forte. [Note que a fera irá morder nesse momento, conforme profetizado em Revelação, Babilônia a Grande e não o povo de Jeová – são povos diferentes! ]

Antes de tal evento, A exortação será dada ao POVO DE JEOVÁ: “Saí dela, povo meu, se não quiserdes compartilhar com ela nos seus pecados..."
Note que Jeová chamará pelo SEU POVO - que com a "aparente derrota" – (na verdade um refinamento) da cidade santa "Jerusalém", estará cativa, exilada em Babilônia. Jeová parecerá ser um "Deus fraco" – até pra muitos do povo Dele.

Quando o oitavo rei (futuro governo tirânico ) receber poder após a Grande Tribulação, a religião falsa ainda existirá montada nas costas desse governo mundial (A reconstruída Babel Maior de Nimrode, que foi a primeira expressão de governo Humano a se REBELAR contra a Soberania de Jeová) .
Rev 17:3 "E avistei uma mulher sentada numa fera cor de escarlate"
Babel vai atingir seu apogeu político e religioso máximo , bem como seu fim para todo o sempre
Assim, antes de Jeová destruir as nações no Armagedom, primeiro ele terá que limpar o seu próprio NOME que reside sobre o seu povo ('remover toda causa de tropeço e os que fazem o que é contra a lei').

Note esses textos que mostram o julgamento da casa de Deus, seu refinamento e por fim seu restabelecimento e salvação. Esse será o tempo em que as nações pisarão a ' hodierna Jerusalém' – o pátio externo do Templo de Deus formado pela congregação de cristãos ungidos (Rev 11).

Jerem 46: 28 No que se refere a ti, não tenhas medo, ó meu servo Jacó’, é a pronunciação de Jeová, ‘pois eu estou contigo. Porque farei uma exterminação entre todas as nações às quais te dispersei,mas contigo não farei nenhuma exterminação. Todavia, terei de castigar-te no devido grau e de modo algum te deixarei impune.’”

Jerem 50:20 “E naqueles dias e naquele tempo”, é a pronunciação de Jeová, “procurar-se-á o erro de Israel, mas ele não existirá; e os pecados de Judá [ungidos], e não serão achados, pois perdoarei aos que eu deixar remanescer”.

Esse período em que o Israel de Deus é "pisado" pelas nações é retratado na profecia de Revelação , conforme enfaticamente mostrado:

11 E foi-me dada uma cana igual a uma vara, ao dizer-me ele: “Levanta-te e mede o [santuário do] templo de Deus e o altar, e os que nele adoram.
Mas, quanto ao pátio que está de fora do [santuário do] templo, lança-o completamente fora e não o meças, porque foi dado às nações, e elas
pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses. 3 E farei as minhas duas testemunhas profetizar por mil duzentos e sessenta dias trajadas de saco.”

A parte terrestre do Templo ( a congregação de cristãos ungidos na Terra ) será dados as nações , e elas psisarão a cidade santa – exatamente como Jesus dissera em Lucas 21:24, na profecia da sua presença e terminação do sistema:

"Jerusalém será pisada pelas nações, até se cumprirem os tempos designados das nações." -a saber 42 meses –

Assim tanto Revelação 11:1 como Lucas 21:24 profetizam sobre o mesmo tema: o tempo que foi dado às nações - ambas apontando para o futuro , e não para o passado, de modo que é ilógico usar "o tempo designado das nações" como prova substancial para a data de 1914. 
O tempo designado das nações se referia ao futuro – não para o passado. Ou seja, o tempo da organização de Deus ser pisadas pelos governos é um evento no Futuro e não no passado! - os 42 meses , 1260 dias ou tempos , tempo e metade de um tempo -os 3 anos e meio,como no caso da duração do ministério terrestre de Cristo – durante a terminação do sistema e presença de cristo. Jesus antes de trazer o Armagedom precisa limpar sua casa: pra isso ele usará as nações – o Oitavo rei – O futuro Nabucodonosor hodierno.

Lembre-se dessa mesma profecia (a repeito dos tempos dos gentios – de Jerusalém ser pisada) conforme expressa em Mateus 24:15
15 “Portanto, quando avistardes a coisa repugnante que causa desolação, conforme falado por intermédio de Daniel, o profeta, estar em pé num lugar santo, (que o leitor use de discernimento,)
Vamos fazer conforme o mandado – usar de discernimento e relacionar o período 'dos tempos dos gentios' – de pisarem a cidade Santa (Rev 11) com a profecia em Daniel capítulo 11:
Daniel 11:31
31 E erguer-se-ão braços procedentes dele [Rei do Norte]; e eles hão de profanar o santuário, o baluarte, e remover o [sacrifício] contínuo. “E hão de constituir a coisa repugnante que causa desolação.

O rei do Norte (também chamado de 8 rei – Rev 17:11 – o futuro governo tirânico) batalhará contra os santos - esse será 'o tempo das nações' –que estarão de pé num lugar santo.

Nesse tempo [o regime tirânico] removerá o sacrifício contínuo relacionado com o fruto dos lábios, a obra de pregação e produção de literaturas bíblicas que ensinam sobre Jeová. (Lembre-se que a revista a Sentinela é publicada sem interrupção [continuamente] pelas Testemunhas de Jeová desde 1879 - página 2 – A Sentinela)

É nesse contexto turbulento que o Reino será dado aos cristãos ungidos:

Daniel 7:25 E falará até mesmo palavras contra o Altíssimo e hostilizará continuamente os próprios santos do Supremo. E tentará mudar tempos e lei, e serão entregues à sua mão por um tempo, e tempos e metade de um tempo. 26 E o próprio Tribunal passou a assentar-se, e tiraram-lhe finalmente seu próprio domínio [do chifre com olhos - tirâno], a fim de [o] aniquilar e destruir totalmente.
27 “‘E o reino, e o domínio, e a grandiosidade dos reinos debaixo de todos os céus foram entregues ao povo que são os santos do Supremo. Seu reino é um reino de duração indefinida e a eles é que servirão e obedecerão todos os domínios.’


Jerusalém e 607 AEC


Deixou Jerusalém de representar simbolicamente o governo de Jeová após 607 AEC?

Resposta de Jesus Mateus 5:35 "...Jerusalém...a cidade do grande Rei."

Usa-se como argumentação para 1914 que o Rei Nabucodonosor despossou o último rei de Judá - Zedequias , em 607 AEC e que dessa forma o reino de Davi estaria desocupado (não viria a ser de ninguém ) até que viesse Siló – Jesus. E que esse período de ausência de um governante humano no trono de Jeová a partir de 607 AEC, seria o então “tempo dos gentios” ou “os tempos designados das nações” (Lucas 21:24)

Como vimos, Lucas 21:24 está relacionado ao expresso em Revelação 11:1- 4 bem como no que o profeta Daniel disse - todos eles se referindo a terminaçao do sistema de coisas - dia do Senhor –um evento futuro em relação ao tempo em que foram escritos cada uma dessas profecias – e não passado.

Também o período de ausência de um governante humano no trono de Jeová, tido até então como o “tempo dos gentios” ou “os tempos designados das nações” - não poderia significar isso pelo simples fato de que Jeová nunca desejou ou almejou que um Rei Humano sentasse em Seu trono.
'é a mim que rejeitaram como rei sobre eles' - Jeová 

Lemos em 1 Samuel capítulo 8:Reuniram-se então todos os anciãos de Israel e vieram a Samuel, a Ramá, e disseram-lhe: “Eis que tu mesmo ficaste velho, mas os teus próprios filhos não têm andado nos teus caminhos. Agora, designa-nos deveras um rei para nos julgar, igual a todas as nações.” 6 Mas a coisa era má aos olhos de Samuel, visto que haviam dito: “Dá-nos deveras um rei para nos julgar”, e Samuel começou a orar a Jeová. Jeová disse então a Samuel: “Escuta a voz do povo referente a tudo o que te dizem; pois, não é a ti que rejeitaram, mas é a mim que rejeitaram como rei sobre eles. 8 Conforme todos os seus feitos que praticaram desde o dia em que os fiz sair do Egito até o dia de hoje, continuamente me abandonando e servindo a outros deuses, assim estão também fazendo a ti. E agora escuta a sua voz. Somente o seguinte: deves adverti-los solenemente e tens de informá-los da prerrogativa legítima do rei que reinará sobre eles.”
Lembre-se do que Jeová disse: 'é a mim que rejeitaram como rei sobre eles'

Seria realmente algo muito prejudicial para Israel ter um humano representando a eles como rei soberano, Samuel fala das prerrogativas de um rei:

10 Portanto, Samuel disse todas as palavras de Jeová ao povo que lhe pedia um rei. 11 E passou a dizer: “A seguinte será a prerrogativa legítima do rei que reinará sobre vós: Tomará os vossos filhos e os porá como seus nos seus carros e entre os seus cavaleiros, e alguns terão de correr na frente dos seus carros; 12 e a fim de designar para si chefes sobre mil e chefes sobre cinqüenta, e [alguns] para lavrarem por ele e para ceifarem a sua colheita, e para fazerem seus instrumentos de guerra e os petrechos de seus carros. 13 E tomará as vossas filhas para misturadoras de ungüento, e cozinheiras, e padeiras. 14 E os vossos campos, e os vossos vinhedos, e os vossos olivais, os melhores, ele tomará e realmente dará aos seus servos. 15 E tomará o décimo de vossos campos de sementeira e de vossos vinhedos, e ele certamente [os] dará aos seus oficiais da corte e aos seus servos. 16 E tomará os vossos servos e as vossas servas, e as vossas melhores manadas e os vossos jumentos, e terá de usá-los para a sua obra. 17 E tomará o décimo de vossos rebanhos e vós mesmos vos tornareis seus como servos. 18 E naquele dia certamente clamareis por causa do vosso rei que escolhestes para vós, mas Jeová não vos responderá naquele dia.”

Que fardo e tropeço para o povo seria ter um rei humano sobre eles! Mas mesmo assim era o que eles queriam – imitar as nações:

19 No entanto, o povo negou-se a escutar a voz de Samuel e disse: Não, mas um rei virá a estar sobre nós20 E também nós teremos de tornar-nos iguais a todas as nações, e o nosso rei terá de julgar-nos, e terá de sair na nossa frente e travar as nossas batalhas.”

De fato, talvez a pior decisão que o povo de Israel fizera em sua história foi querer ter um rei humano igual a todas as nações. “assentando-se” no trono de Jeová , isso os levou à ruína física e espiritual quando Salomão apostatou, dividindo o reino de Israel em dois e quando outros reis sucessores levaram Israel à idolatria e por fim ao exílio – que má decisão. Um rei humano era totalmente desnecessário para quem tinha Jeová por Rei.
Acontece que eles não possuíam fé suficente para ver Jeová como Rei sobre eles – precisavam de algo material,uma instituição humana – reis humanos.
De fato, 'homem tem dominado homem para seu prejuízo' – Jeová os havia alertado nos dias de Samuel.

Um rei soberano humano foi o que o Opositor Satanás primeiro estabeleceu por meio de Ninrode – um arranjo diabólico, e depois em cada uma das nações (rei do Egito, rei dos filisteus, rei do amorreus, etc).

Assim embora Israel não mais tivesse um rei humano sentando-se no “trono de Jeová” depois do exílio, a nação voltou a ser como nos dias dos juízes (lembre-se que o rei de Judá Joaquim por fim teve sua dignidade restabelecida durante o exílio (Jeremias 52:31-34) e o governante Zorobabelapós o exílio era da linhagem de Davi), contudo o papel de Jerusalém quanto à adoração verdadeira ainda continuaria o mesmo 70 anos depois de 607 AEC – o lugar onde se invocava o nome de Jeová com seu sagrado Templo reconstruído - a cidade daquele que sempre deveria ter sido para eles – o seu Grande Rei – Jeová.

O próprio Jesus reconhecia que havia um Rei – não humano - atuante no povo de Deus nos tempos em que ele esteve na terra: 
Mateus 5:34 “No entanto, eu vos digo: Não jureis absolutamente, nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35 nem pela terra, porque é o escabelo de seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei. 

Salmo 48 48 Jeová é grande e para ser louvado muito Na cidade de nosso Deus, [no] seu santo monte. Bonito pela elevação, a exultação da terra inteira, É o monte Sião nos lados remotos do norte, A vila do grandioso Rei.

Salmo 135:21 Bendito desde Sião seja Jeová, Que reside em Jerusalém.Louvai a Jah!
'Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei' - Jesus

Jerusalém apenas deixou de representar o governo de Jeová – o lugar onde se invocava o Seu nome em 70 EC, quando foi destruída pelos Romanos , cumprindo por fim as palavras de Jesus:

Mateus 23:38 'Eis que a vossa casa vos fica abandonada' Lucas 19:41
41 E quando chegou perto, contemplou a cidade e chorou sobre ela, 42 dizendo: “Se tu, sim tu, tivesses discernido neste dia as coisas que têm que ver com a paz — mas agora foram escondidas de teus olhos. 43 Porque virão sobre ti os dias em que os teus inimigos construirão em volta de ti uma fortificação de estacas pontiagudas e te cercarão, e te afligirão de todos os lados, 44 e despedaçarão contra o chão a ti e a teus filhos dentro de ti, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não discerniste o tempo de seres inspecionada.”

O problema não era e nunca foi se havia algum humano que se sentasse no trono físico em Israel , mas sim, o que a adoração verdadeira ao grande Rei Jeová Deus – em Jerusalém - havia se tornado. Foi justamente querer um rei humano 'sentado no trono de Davi' que os induziram a rejeitar o Messias.
De fato, o único que teria o direito LEGAL (Siló) de ocupar o trono de Jeová, não seria nenhum homem e em nenhum trono físico na terra– mas sim Miguel (Jesus) , no reino dos céus


1914 - uma 'adivinhação'
Como Jesus disse em Mateus 24:36
36 “Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai.

43 “Mas, sabei isto, que, se o dono de casa tivesse sabido em que vigília viria o ladrão, teria ficado acordado e não teria permitido que a sua casa fosse arrombada. 44 Por esta razão, vós também mostrai-vos prontos, porque o Filho do homem vem numa hora em que não pensais

Se lermos honestamente todo o capítulo 24 de Mateus, veremos que 'o dia' (note que a palavra dia está no singular) que pegaria a todos de surpresa seria o começo de sua presença dando início a terminação (synteleia) e NAO o Armagedom [fim completo] 

Lembre-se dos dias de Noé já considerado:
38 .... até o dia em que Noé entrou na arca [sinal da terminação] , 39 e não fizeram caso, até que veio o dilúvio e os varreu a todos, assim será a presença do Filho do homem.

Note as expressões "até o dia ".......'até que veio o dilúvio' - o uso da preposição 'ATÉ' estratifica a ordem dos eventos

Essas expressões "até" dividem a ordem das coisas, como visto, Noé constrói a arca/prega a justiça....até o dia que o Pai manda entrar nela. [período da terminação]..até que traz o Dilúvio (Armagedom)
É por isso que ninguém sabia 'o dia' que daria início a presença - nem os anjos , nem o Filho

Se esse 'dia' fosse baseado de alguma forma em datas passadas – em 607 AEC, os anjos ou Jesus, 'testemunhas oculares da história', fariam o cálculo um tanto que simples [Ezequiel 13:6].

Conta para Jesus e Anjos fazerem:
7x360 = 2520 a partir de 607 AEC , 

Pois é...mas por volta de 30 EC Jerusalém ainda era, conforme expresso pelo próprio Jesus, a 'cidade do Grande Rei'... a lição de 607 AEC foi clara: não queiram um rei humano [homem não tem o direito legal] para os desviar de Deus – o nome de Jeová ainda seria invocado no Templo em Jerusalém, até 70 EC.

No fim das contas ,1914 também teve suas origens em Babiónia incluindo influências argumentativas baseadas na grande pirâmide de Gizé:
 'Em 1844, E. B. Elliott, um clérigo britânico, chamou atenção para 1914 como possível data do fim dos "sete tempos" de Daniel, mas apresentou também um conceito alternativo que apontava para o tempo da Revolução Francesa. Robert Seeley, de Londres, em 1849, considerou o assunto de modo similar.'

Com a interpretação honesta dos fatos que a própria Escritura dá, nem um remendo é necessário, incluindo achar que Cristo está como que andando em círculos – 'vindo' várias vezes pela terra.

Não podemos condenar Russel nem Rutherford por 1914 – seria o modo como teríamos vistos as coisas também naquela época. Estamos a um século de vantagem.Seria como injustamente comparar uma máquina de escrever do final do século 19 com um computador do século 21. O problema não é errar, é persistir no erro obstinadamente.

De qualquer forma, 1914 cairá ,não importa o quanto a reboquem com a cal ('não se poe remendos novos em roupa velha') – A Bíblia nunca se contradiz, ela é matematicamente perfeita, ausente de discrepância.

Ezequiel 13:10 pela razão, sim, pela razão de que desencaminhastes meu povo, dizendo: “Há paz!” quando não há paz, e há quem constrói uma parede de separação, mas é em vão que há os que a rebocam a cal.’11 “Dize aos que rebocam a cal que ela cairá. Certamente ocorrerá um aguaceiro inundante, e vós, ó pedras de saraiva, caireis, e o próprio sopro de vendavais causará fendas. 12 E eis que a parede terá de cair. Não se dirá a vós: ‘Onde está o revestimento com que rebocastes?’ 13 “Portanto, assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Vou fazer irromper também um sopro de vendavais no meu furor, e na minha ira ocorrerá um aguaceiro inundante, e no meu furor haverá pedras de saraiva para uma exterminação. 14 E vou derrubar a parede que rebocastes a cal e pô-la em contato com a terra, e seu alicerce terá de ser exposto. E ela certamente cairá e vós tereis de chegar ao fim no meio dela; e tereis de saber que eu sou Jeová.’ 15 “‘E eu vou levar a cabo meu furor contra a parede e contra os que a rebocam a cal, e eu vos direi: “A parede não existe mais e os que a rebocaram não existem mais, 16 os profetas de Israel que estão profetizando a Jerusalém e que estão tendo para ela uma visão de paz, quando não há paz”’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová.

O aguaceiro inundante' será o pisamento das nações sobre o povo de Jeová, nesse 'dia' todos os que quiserem se salvar, terão de adorar o Pai com Espírito e Verdade.

A terminação do Sistema de coisas

                                  Sete Tempos

Deuteronômio 15:1 “Ao fim de cada sete anos deves fazer uma remissão."

Note as palavras de Mateus 24:38 “até o dia em que Noé entrou na arca” 
Compare com as palavras de Genesis abaixo:
Genesis 6 22 E Noé passou a fazer segundo tudo o que Deus lhe mandara. Fez exatamente assim. 7:1 Após isso, Jeová disse a Noé: “Entra na arca” Pois, em apenas mais sete dias farei que esteja chovendo sobre a terra” . 10 E aconteceu que sete dias depois vieram as águas do dilúvio sobre a terra.

Como vimos no artigo “os dias de Noé” , a Terminação do atual sistema de coisas seguiria os moldes dos dias de Noé.

O dia em que Noé entrou na Arca, por causa da ordem dada pelo Pai, iniciou a Semana que marcaria a Terminação daquele antigo Sistema de coisas.
Essa Semana nos dá um detalhe importante quanto a duração do período de Terminação do atual sistema de coisas.

O Pisar sobre a Cidade Santa de Jeová na Terra

Lucas 21:20-24 Fala de um evento importante que é o pisamento da cidade santa (Jerusalém de cristãos ungidos – onde se invoca o nome de Jeová) feito pelas nações. Conforme as palavras de Jesus “haverá grande necessidade na terra e furor sobre este povo [de Deus]”

“quando virdes Jerusalém cercada por exércitos acampados, então sabei que se tem aproximado a desolação dela...haverá grande necessidade na terra e furor sobre este povo; 24 e cairão pelo fio da espada e serão levados cativos para todas as nações; e Jerusalém será pisada pelas nações, até se cumprirem os tempos designados das nações.”
Importante notar a preposição “até”.

O capítulo 11 de Revelação nos dá condições de saber quanto durará os tempos designados das nações:
“porque foi dado às nações, e elas pisarão a cidade santa por quarenta e dois meses”

Ou seja, o período de futura grande tribulação, em especial para o povo de Deus que não pega em armas, e que teria sua cidade santa pisada pelas nações seria de 42 meses ou 3.5 anos.
O que faria os cristãos ungidos durante essa tribulação? Ficariam calados por causa de sua grande humilhação? A Bíblia responde em Revelação 11:
3 E farei as minhas duas testemunhas profetizar por mil duzentos e sessenta dias trajadas de saco.”
Elas pregarão que o Reino de Deus enfim domina desde os céus! Agora sim. Os Ungidos estarão 'vestidos de saco' e precisarão da ajuda de outros , terão sede, fome, nudez, serão estranhos e em prisões (Mateus 25:34-46).

Lembre-se que o tempo das nações pisarem a cidade santa é de 42 meses, o que se seguirá a isso? 

Vejamos a resposta: Rev 11 7 E quando tiverem terminado seu testemunho [ou seja, depois dos 1260 dias], a fera que ascende do abismo far-lhes-á guerra, e as vencerá, e as matará.
Ou seja, APÓS os 42 meses (3,5 anos) no tempo em que se segue [quando tiverem terminado seu testemunho], os ungidos serão mortos durante o regime da Fera que sobe do Abismo (sobe do então Caos e Tribulação em que esse sistema se encontrará – Mateus 24:29). O Regime da Fera será como a idade das Trevas [sol escurecido], conhecida especialmente por matar os santos de Deus.

Note Mateus 24:29:
 “Imediatamente depois da tribulação daqueles dias, o sol ficará escurecido, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e os poderes dos céus serão abalados"

Por quanto tempo durará esse período de Trevas? Revelação 13: 5 5 E foi-lhe dada uma boca que falava grandes coisas e blasfêmias, e foi-lhe dada autoridade para agir por quarenta e dois meses. 7 E foi-lhe concedido travar guerra com os santos e vencê-los

Tudo isso está em harmonia com a profecia de Daniel 8:13:
13 E eu estava ouvindo certo santo falar, e outro santo passou a dizer àquele que falava: “Até quando durará a visão do [sacrifício] contínuo e da transgressão que causa desolação, para fazer tanto [do] lugar santo como [do] exército algo a ser pisoteado?” 14 Ele me disse, pois: “Até duas mil e trezentas noitinhas [e] manhãs; e [o] lugar santo certamente será levado à sua condição correta.”

O lugar santo certamente será levado á sua condição certa, provavelmente indicando que todos os ungidos já estarão com Cristo nos céus quando se passarem 2.300 noitinhas e manhãs
Nota: Um dia contém uma noitinha e uma manhã , logo: 360x6 + 4x30 +20 = 2300 dias (noites e manhãs)

Assim passarão 2.300 noitinhas e manhãs. A saber, 6 anos, 4 meses e 20 dias
Nisso, os ungidos [lugar santo] bem como os da grande multidão [exército] que sobrevivem da grande tribulação estarão numa condição correta, permitindo que Deus execute o julgamento final sobre o Mundo a começar por Babilônia, a Grande – usando a própria fera , e por fim – a fera.

A Profecia de Sete Tempos do profeta Daniel

Daniel 4:13 13 “‘Eu continuei a ver nas visões da minha cabeça, sobre a minha cama, e eis que havia um vigilante, sim, um santo, descendo dos próprios céus. 14 Ele clamava em alta [voz] e dizia o seguinte: “Derrubai a árvore e cortai-lhe os galhos. Sacudi a sua folhagem e espalhai os seus frutos. Fujam os animais de debaixo dela e as aves dos seus galhos. 15 Todavia, deixai- lhe o próprio toco na terra, sim, com banda de ferro e de cobre, entre a relva do campo; e seja molhado pelo orvalho dos céus e seja seu quinhão entre a vegetação da terra. 16 Mude-se-lhe o coração daquele do gênero humano e dê-se-lhe um coração de animal, e passem sobre ele sete tempos. 17 A coisa é por decreto dos vigilantes e o pedido é [pela] declaração dos santos, para que os viventes saibam que o Altíssimo é Governante no reino da humanidade e que ele o dá a quem quiser, e estabelece nele até mesmo o mais humilde da humanidade.”

Esta profecia provavelmente diz respeito á conclusão do Sistema de coisas, quando a árvore, ou seja, governos humanos, especialmente os republicanos, sofrerem colapso:

'Derrubai a árvore e cortai-lhe os galhos. Sacudi a sua folhagem e espalhai os seus frutos. Fujam os animais de debaixo dela e as aves dos seus galhos
' Isso se dará provavelmente no início da Grande Tribulação quando as nações-estado perderem suas autonomias e caminharem para Guerra.
Mude-se-lhe o coração daquele do gênero humano e dê-se-lhe um coração de animal, e passem sobre ele sete tempos.”

Isso reflete o fim de toda a forma Republicana [gênero humano ] de Governo.
“e dê-se-lhe um coração de animal” - O governo na forma de uma Fera – o Oitavo Rei do livro de Revelação.

Assim, o período da terminação será a última semana de anos do sistema de coisa 

É importante entender o propósito de cada um dos períodos de 3.5 anos que se dará durante a Terminação e Presença.

Os primeiros 3.5 anos serão o tempo DADO ÁS NAÇÕES para pisar a cidade Santa - o tempo que Jeová permitirá que os do povo de Deus sejam perseguidos e refinados. Esse tempo reflete sobretudo o Julgamento da Casa de Deus, o Julgamento de Betel.

Durante esse tempo a classe Ungida profetizará vestida de saco. Ou seja, o trabalho será em condições difíceis e sob humilhação. Nesse tempo que o Joio e Trigo serão separados,  os peixes excelentes dos imprestáveis.
Nesse tempo, os primeiros 3.5 anos,  é que a cidade Santa (Jerusalém 'é cercada por exércitos acampados' e invadida pela 'coisa repugnante').
 Como nos profetas, Jerusalém é "desolada, levada ao cativeiro"  - pra depois ser RESTAURADA
Como resultado desse refino é que então os justos brilharão tão claramente como o sol, no reino de seu Pai (Mateus 13)

Após o turbulento período de 1260 dias (Grande Tribulação)  - profetizando em saco - os ungidos terão sido refinados e enfim selados com aprovação do Refinador Jesus. Eles, o Trigo , recebem o Reino e são selados com a confiança inquebrantável da parte de Deus. 

Agora eles estão prontos para encarar o domínio final da Fera ( próximos 42 meses).
Esse é o tempo em que Jerusalém SAI do cativeiro , é totalmente REFINADA e EXALTADA aos olhos de DEUS. Não há mais erro na "casa de Israel".

Seguirão os próximos 1260 dias, em que os Justos Ungidos agora proclamarão junto com o exército da grande Multidão que saem da Grande Tribulação que ele receberam o Reino e Aprovação como Reis sobre a Terra por parte de Jeová - Daniel 7:27
Eles proclamarão que Deus Refinou o seu povo e que agora Deus poderá ajustar contas com o Mundo e com a Religião Falsa.
Embora o tempo PERMITIDO - DADO AS NAÇOES de se pisar a cidade santa já tenha passado ( os primeiros 3.5 anos) - A Fera e sua meretriz continuará hostilizando os Santos do Supremo.
Uma vez que Jeová já ajustou contas com seu povo nos primeiros 1260 dias, agora será tempo Dele ajustar contas com Babilônia a Grande e a Fera - por continuarem a hostilizar o povo de Deus.
Primeiro Ele poe no coração da Fera dilacerar a meretriz.

A Fera pensará que reina em absoluto sobre o mundo , sem mais nenhuma religião montando em suas costas, quando de repente ela se aperceberá que ainda existem os genuínos reis da terra proclamando o Reino de Deus como atuante e o iminente Armagedom.

Essas notícias perturbarão a Fera que fará um esforço para matar os filhos do Reino. E ela os matará.
Revelação 11:13 mostra que sete mil são mortos, provavelmente representando  quantidade de Ungidos remanescentes na terra que não adoram a imagem da fera (Lembre-se dos 7 mil profetas de Jeová que não se dobraram perante Baal nos dias de Elias)
  
Por ter martirizado seus filhos ungidos , Jeová envia a grande saraivada sobre a Fera e seus seguidores, poupando a Grande Multidão que após o Armagedom, como sobreviventes, herdam as bençãos do Reino

Deuteronômio 15:1 “Ao fim de cada sete anos deves fazer uma remissão."

A presença de Cristo e os dias de Noé.

               Os dias de Noé

Os dias de Noé significaram todo um conjunto de acontecimentos que precederam o fim de um antigo sistema de coisas: desde quando Deus exercia paciência, até que ele sinalizou a terminação daquele sistema antigo e por fim o grande 'final'. Por isso consideramos importante o estudo detalhado dos eventos que ocorreram nos dias de Noé.

Voltemos para a indagação inicial realizada pelos apóstolos de Jesus:
Mateus 24:3
3 Enquanto estava sentado no Monte das Oliveiras, aproximaram-se dele os discípulos, em particular, dizendo: “Dize-nos: Quando sucederão estas coisas e qual será o sinal da tua presença e da terminação do sistema de coisas?”

(Note que eles não perguntaram quando seria o Armagedom – grego te-los - o fim completo)
De modo que nos próximos versos do capítulo 24 de Mateus, irá se tratar do “sinal da presença de Cristo e da terminação do sistema de coisas”.

Apenas enfatizando (relembrando) o entendimento correto das palavras “presença” e “terminação”:
- “sinal da tua presença” - sinal da “pa-rou-sí-as”
  • terminação do sistema de coisas” - syn-te-leí-as – fim conjunto – fim conjugado – a palavra terminação indica algo que não atingiu o seu fim derradeiro, mas o estágio inicial desse fim completo. (fim completo ou término – do grego té-los)

Para ilustrar, o cenário é como um carro que anda em certa velocidade X, até o ponto em que, por causa do “sinal vermelho” ele sofre uma desaceleração (pisa-se no freio).
O carro para imediatamente? Não! Ele continua em movimento desacelerado até parar por completo (grego té-los – fim completo).

Ilustrando , vamos marcar os eventos desse carro na linha do tempo:


A presença e a terminação abrange o momento em que se “pisa no freio” (sinal vermelho) e transcorre-se um período de tempo, até que o carro pare completamente – velocidade zero. - Fim completo – do grego Te-los
Reformulando, de forma análoga, a pergunta dos discípulos, temos: “Qual o sinal” que indicará uma pisada no freio deste sistema - marcando a terminação do atual sistema de coisas ?
Usando a ilustração:
Qual é a variável aleatória na questão dos discípulos? Qual o ponto crucial na linha de tempo acima?
  • É saber o sinal que indicará o início da presença e da terminação do sistema de coisas – 'o dia e a hora' do 'sinal vermelho' .

Analisando todo o contexto desses versículos, Jesus disse que esse 'dia' seria incalculável pelos anjos, por ele mesmo e muito menos pela mente humana:

Mateus 24:36
Acerca daquele dia (note a palavra 'dia' no singular) e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai.

24:42 “Portanto, mantende-vos vigilantes, porque não sabeis em que dia (singular) virá o vosso Senhor.”

24:50 “ o amo daquele escravo virá num dia (singular) em que não espera
Marco 13:32 “pois não sabeis quando é o tempo designado”
35: “pois não sabeis quando vem o senhor da casa”

No entanto, embora Jesus dissesse que não fosse possível para nós sabermos “o dia”, ele nos disse para atentarmos para o padrão estabelecido que ocorreu lá nos dias de Noé:

Lemos em Mateus 24:36
36 “Acerca daquele dia e daquela hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente o Pai. 37 Pois assim como eram os dias de Noé, assim será a presença do Filho do homem. 38 Porque assim como eles eram naqueles dias antes do dilúvio, comendo e bebendo, os homens casando-se e as mulheres sendo dadas em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca, 39 e não fizeram caso, até que veio o dilúvio e os varreu a todos, assim será a presença do Filho do homem.
Assim o modelo seria os dias de Noé – O que ocorreu nos dias de Noé?
Os dias de Noé podem ser separados em três estágios importantes (esses estágios são definidos por meio da preposição 'até' que denota a mudança no decorrer do tempo de um estado ou ação – Note Atos 13:20 para uma construção similar):

  1. aqueles dias antes do dilúvio...as pessoas comendo e bebendo“. Noé construindo a arca e pregando a justiça...”e Noé fez exatamente assim”
  2. Depois, “o dia em que Noé entrou na arca” e seguiam-no os animais - mas as pessoas não se importaram – não fizeram caso – 'não o perceberam'.
  3. Até que veio o dilúvio e os varreu a todos.

Pensemos:
No caso dos dias de Noé, Qual foi “aquele dia e aquela hora” que ninguém sabia? Qual foi o dia que apenas o Pai sabia? Qual foi o sinal para aquelas pessoas, o evento - o “dia” (note singular) - que não fizeram caso , não o perceberam, sinal esse que indicaria o início da terminação do sistema de coisas?

A resposta é dada por Jesus: “o dia em que Noé entrou na arca”.
Conforme o relato de Gênesis, lemos o que Noé fez antes dele entrar na arca:
Genesis 6:22 “E Noé passou a fazer segundo tudo o que Deus lhe mandara. Fez exatamente assim.” (ou seja, construiu a arca e pregou a justiça – antes 'daquele dia')

E depois disso, o que ocorreu? Lemos:
Genesis 7:1
1 “Após isso [depois], Jeová [ e de fato, apenas o Pai sabia o dia] disse a Noé: “Entra na arca, tu e todos os da tua casa, porque tu és quem eu vi ser justo diante de mim no meio desta geração.”
7:4 “Pois, em apenas mais sete dias [período de terminação] farei que esteja chovendo sobre a terra por quarenta dias e quarenta noites; e vou obliterar da superfície do solo toda coisa existente que tenho feito.”'

7 Noé entrou assim na arca, e com ele seus filhos e sua esposa, e as esposas de seus filhos, antes de [virem] as águas do dilúvio.”...
  1. E aconteceu que sete dias depois [período da terminação daquele sistema] vieram as águas do dilúvio sobre a terra

Raciocinemos:
O que marcou (sinalizou) o período da terminação daquele antigo sistema de coisas? Quanto tempo durou naquele caso? O que serviu de sinal de aviso para aquelas pessoas ('que comiam e bebiam') de que o sistema de coisas daquela época havia atingido o início de sua terminação? Encontramos a resposta no relato: ' o dia em que Noé entrou na arca'

Para ilustrar:


O “dia” em que Jeová ordenasse que Noé entrasse na arca, esse dia indicaria o sinal que o sistema de coisas daquela época estaria em sua terminação – o começo do fim.
E mesmo que a arca já estivesse pronta por muitos anos, apenas o Pai poderia dar a ordem “entra na arca” - ordem essa que indicaria o sinal da terminação do sistema antigo de coisas – a sinteleia / parusia daquela época.

-------------------------------------------------------------------------------------
Nota: Pelo próprio 'bom senso' e pelo próprio contexto de Gênesis capítulo 7, Noé não deve ter esperado o último dia dos sete (justo o sábado) para começar a trabalhar por entrar na arca com os animais, assim ele “entrou na arca” no primeiro dia, desde que ele recebeu a ordem dada por Deus: 'Entra na arca' (sendo esse o sinal para as pessoas da terminação daqueles dias).
A Sentinela 15 de Abril de 2012 também concorda com essa ideia: Lemos na página 23 parágrafo 7: “Sete dias antes de caírem as águas – tempo suficiente para Noé e sua família alojarem os animais na arca - ”.
-------------------------------------------------------------------------------------

Porém, meditemos o seguinte: quando foi que Noé começou a construiu a arca? Será que foi durante o período de sete dias que marcaria a terminação (synteleias) daquele sistema? Não! Foi cerca de 40-50 anos ANTES.
Lemos em 2 Pedro 2:5 “...mas preservou a Noé, pregador da justiça...”

Do mesmo modo, quando foi que Noé começou a ser o 'pregador da justiça' ?Será que foi durante o período da terminação daquele sistema?
Não, não foi. Ele pregou a justiça por muito tempo ANTES do período que marcou a “terminação” daqueles tempos.
Noé pregava muito tempo antes do chamado 'tempo do fim - terminação' - se quer começar, e fazia isso durante muitos anos enquanto ele construía a arca. A própria arca – a medida que ela iria aumentando - servia como testemunho contra as pessoas.
Aí, veio o sinal do Pai: “Entra na arca”
E durante a terminação do sistema, “a descendência de animais” ...”continuaram a vir a Noé”.
E assim será, analogamente, em nossos dias:
Note a ilustração abaixo:


Assim – o dia em que o Pai e somente o Pai pisará no freio desse sistema de coisas, dando início a sua terminação, até sua 'parada por completo' no Armagedom – é um evento a ocorrer no futuro, em breve – dado o tamanho da arca e o tempo em que se prega a justiça.
Uma coisa é certa: temos que fazer 'exatamente assim' – construir a arca e pregar a justiça ANTES do 'dia' do sinal da presença. A presença não pode começar com a arca inacabada.
Enquanto a 'arca' de Jeová está em construção, Deus exerce paciência:
1 Pedro 3:20:
'os quais outrora tinham sido desobedientes, quando a paciência de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se construía a arca, na qual poucas pessoas, isto é, oito almas, foram levadas a salvo através da água.'

A 'paciência de Deus' espera nos nossos dias, enquanto se 'constrói' o povo de Jeová, bem como os filhos do Reino (Hebreus 11:7).

A ordem: “Entra na arca” dos dias de Noé, eqüivale aos nossos dias quando Jeová vindicar a sua Soberania estendendo assim o território de atuação ou jurisdição do Rei Jesus Cristo: Jesus será o Rei do mundo. – mas para isso, novamente, a arca-organização (Vide Nota)  Templo de Deus  de Jah deve estar pronta. O Templo ,formado por cristãos ungidos, deve estar pronto para ser inaugurado.


 a arca-organização: A organização é a imagem profana (imitação) do Verdadeiro Templo. (Vide Nota) 


O Trabalho efetuado por Noé é totalmente relacionado com o trabalho dos embaixadores do Reino:

Comparando os dias de Noé / nossos dias : Evento a Evento:
O Testemunho: A Paciência de Jeová
A1)Ordem dada a Noé de construir a arca e pregar a justiça – 40/50 anos
A2)Verdadeiros cristãos constroem a “arca-organização de Jah” e pregam as boas novas em todas as nações por séculos.

B1) Noé fez exatamente assim
B2) Cristãos (ungidos) fazem exatamente assim.

O Sinal – Aquele 'dia' - A Terminação:
C1) Depois disso, Jeová dá o sinal: “Entra na arca” - começa a terminação.
C2) Depois dos cristãos fazerem “exatamente assim”, Jeová dará o sinal que indicará que “Cristo Reina sobre o mundo” - começará a terminação do sistema de coisas – o Reino de Cristo começa a jurisdicionar sobre a terra.

O Fim (completo)
D1) Após a terminação (7 dias), vem o Dilúvio
D2) Após a terminação, vem o Armagedom.
Assim, conforme Tiago 5:7 concluímos:
'7 Portanto, exercei paciência, irmãos, até a presença do Senhor. Eis que o lavrador fica esperando o precioso fruto da terra, exercendo paciência com ele, até que venha a chuva temporã e a chuva serôdia. 8 Vós também exercei paciência; firmai os vossos corações, porque se tem aproximado a presença do Senhor.' [a arca está praticamente pronta]

Vigiai! '“pois não sabeis quando vem o senhor da Arca'

Deuteronômio 15:1 “Ao fim de cada sete anos deves fazer uma remissão."

Portanto a genuína presença é um evento futuro e não começou em 1914.


Nota: A "organização de Jeová" construída por homens não é sinônimo do Templo de Deus. Assim, nesse artigo, é melhor usar o termo Templo de Deus ao invés de "Organização". Sobretudo em virtude da Apostasia cometida pela "Organização de Jeová" e seus líderes. A "Organização de Jeová" tornou-se o instrumento a fim de desencaminhar, se possível, os escolhidos.